A correlação entre a noção de subjetividade e o desenvolvimento do programa da fenomenologia em Husserl

  • Adelar Conceição Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Subjetividade, Fenomenologia Transcendental, Mundo da Vida.

Resumo

O objetivo do presente artigo é assinalar a correlação entre a concepção de subjetividade e o desenvolvimento da fenomenologia enquanto projeto programático. Para isso, percorremos as diferentes fases da fenomenologia husserliana procurando destacar o papel crescente desempenhado pela subjetividade, tanto a partir da chamada “virada transcendental”, quando ainda na etapa tardia da temática do “mundo da vida” (Lebenswelt). Por fim, procuramos mostrar que para a concepção de fenomenologia de Husserl permanece a referência última à subjetividade, pois ela é não só condição, mas também fundamento que confere unidade ao projeto geral da fenomenologia nas suas sucessivas etapas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adelar Conceição, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Doutorado em andamento no Programa de Pós-graduação em Filosofia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2013-2017). Possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal de Santa Maria (2003) e mestrado em Filosofia pela Universidade Federal de Santa Maria (2008). Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em História da Filosofia, atuando principalmente nos seguintes temas: filosofia contemporânea, fenomenologia, filosofia e educação, história da filosofia e filosofia.

Referências

HEIDEGGER, M. Prolegomenos para una Historia del Concepto del Tiempo. Madri: Alianza Editorial, 2006.

HUSSERL, E. Investigaciones Lógicas. Madri: Revista do Ocidente, 1976.

_______. Ideas Relativas a una Fenomenología Pura y una Filosofía Fenomenológica. Libro Primero: Introduccción general a la fenomenologia pura. México, D.F.: Fondo de Cultura Econômica, 1986.

_______. Ideas Relativas a una Fenomenología Pura y una Filosofía Fenomenológica. Libro Segundo: Investigaciones fenomenológicas sobre la constitución. México, D.F.: Fondo de Cultura Econômica, 2005.

_______. Meditações Cartesianas. Introdução à Fenomenologia. Porto: Rés, 2001.

_______. A Crise da Ciências Européias e a Fenomenologia Transcendental. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.

SARTRE, J.P. A Transcendência do Ego. Seguido de Consciência de Si e Conhecimento de Si. Lisboa: Edições Colibri, 1994.

DEPRAZ, N. Compreender Husserl. Petrópolis: Vozes 2008.

DESCARTES, R. Meditações. Tradução de J. Guinsburg e Bento Prado Júnior. São Paulo: Abril Cultural, 1973.

MOURA, C. A. R. Crítica da razão na fenomenologia. São Paulo: Nova Stella e Edusp, 1989.

RICOEUR, P. Na escola da fenomenologia. Petrópolis: Vozes, 2009.

SPIEGELBERG, H. The Phenomenological Movement. A historical introduction. Third revised an enlarged edition. Dordrecht/Boston/London: Kluwer Academic Publishers, 1994.

Publicado
2017-12-20
Como Citar
Conceição, A. (2017). A correlação entre a noção de subjetividade e o desenvolvimento do programa da fenomenologia em Husserl. Intuitio, 10(2), 21-51. https://doi.org/10.15448/1983-4012.2017.2.29501