Atos mentais e Cognição em J. Duns Scotus: um estudo de caso do Quodl. XIII

  • Guido José Rey Alt Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Brasil
Palavras-chave: Duns Scotus, Guilherme de Ockham, ceticismo, filosofia da mente

Resumo

O ensaio examina a ontologia de atos mentais desenvolvida por Scotus em Quodlibet XIII, dando atenção aos aspectos da filosofia da mente posteriores e presentes em Guilherme de Ockham. O tratamento tem ênfase na interpretação dos assim chamados modelos de ‘existência objetiva’ e de ‘atos mentais’ com respeito ao conteúdo mental e sua relação com a epistemologia da cognição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANNAS, J.; BARNES, J. (orgs.). The Modes of Scepticism. Cambridge: University Press, 1985

ADAMS, Marilyn Maccord. “Ockham’s Nominalism and Unreal Entities. The Philosophical Review, vol. 86, n.2 (1977), pp. 144-176.

DUNS SCOTUS, Ioannes. Quaestiones Quodlibetales. ed. L. Wadding, vol. 12. Lyons: 1639.

_______. Opera philosophica. 5 vols. Ed. St. Bonaventure University. The Franciscan Institute,St. Bonaventure, 1997- 2006.

OCKHAM, William. Opera philosophica et theologica, Gedeon Gál, et al., ed. 17 vols. St. Bonaventure, N. Y.: The Franciscan Institute. 1967–88.

OCKHAM, Guilherme. Prólogo às Sentenças, Questão 1a. In: OCKHAM, Guilherme. (trad. Antônio Raimundo dos Santos). Repensando a Filosofia. Prólogo do Comentário de Ockham às Sentenças, Questão 1a. Porto Alegre: EDIPUCRS, p.84.

PERLER, Dominik. Zweifel und Gewissheit. Skeptische Debatten im Mittelalter. Frankfurt am Main: Vittorio Klostermann, 2006

PERLER, Dominik. Theorien der Intentionalität im Mittelalter. Frankfurt am Main: Vittorio Klostermann, 2004.

TACHAU, K. Vision and Certitude in the Age of Ockham. Michigan: University Microfilms International, 1981.

Publicado
2017-12-20
Como Citar
Alt, G. J. R. (2017). Atos mentais e Cognição em J. Duns Scotus: um estudo de caso do Quodl. XIII. Intuitio, 10(2), 157-166. https://doi.org/10.15448/1983-4012.2017.2.28557