A carne como estrutura ontológica em Merleau-Ponty

  • Renato dos Santos Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR.
Palavras-chave: Gestalt, Chair, Ontologia, Merleau-Ponty.

Resumo

Este artigo investiga a ressignificação do conceito de gestalt no último Merleau-Ponty. Sustenta que é a partir da reabilitação ontológica da estrutura que possibilita o filósofo superar o problema do espírito ou, se quiser, as dicotomias oriundas do objetivismo e do subjetivismo. Mostra, ainda, como a gestalt é vertida em carne (Chair), conceito qual que permite conceber a indivisão entre o vidente e o visível, o senciente e o sensível, o visível e o invisível, sem, com isso, diluir as diferenças de cada um, justamente por ser um tecido gestáltico, cuja característica fundamental é a diferenciação das figuras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renato dos Santos, Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR.
Possui Graduação (2014) e Mestrado (2017) em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR. Atualmente, é doutorando (Bolsista CAPES) em Filosofia pela mesma instituição. É autor do livro "O quiasma do mundo: a questão da alteridade em Merleau-Ponty" (CRV, 2017). Tem sua pesquisa voltada para os temas da alteridade, da subjetividade, o conceito de estrutura, o fenômeno da existência e seus desdobramentos. Temas que são investigados a partir de autores como Hegel, Husserl, Heidegger, Merleau-Ponty, Sartre, Freud e Lacan.

Referências

BARBARAS, Renaud. Merleau-Ponty et la psychologie de la forme. Les études philosophiques, n. 57, p. 151-163, 2001.

CHAUI, Marilena. Experiência do pensamento: ensaios sobre a obra de Merleau-Ponty. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

FALABRETTI, Ericson Sávio. Estrutura e ontologia na obra de Merleau-Ponty. Revista de Filosofia Aurora, Curitiba, v. 25, n. 37, p. 305-341, jul./dez., 2013.

LISPECTOR, Clarice. Perto do coração selvagem: romance. Rio de Janeiro: F. Alves, 1990.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Signos. São Paulo: Martins Fontes, 1991

________. L’institution, la passivité: notes de cours au Collége de France (1954-1955). Paris: Belin, 2003.

________. O olho e o espírito. São Paulo: Cosac Naify, 2013.

________. O visível e o invisível. 4. ed. São Paulo: Perspectiva, 2014.

MOUTINHO, Luiz Damon Santos. O invisível como negativo do visível: a grandeza negativa em Merleau-Ponty. Tras/Form/Ação, Marília, v. 27, n. 01, p. 7-18, jan./jul., 2004.

RAMÍREZ, Mario Teodoro. La filosofia del quiasmo: introducción al pensamiento de Merleau-Ponty. México: FCE, 2013.

SARTRE, Jean-Paul. O ser e o nada: ensaio de ontologia fenomenológica. 20. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

SILVA, Claudinei Aparecido de Freitas. A carnalidade da reflexão: ipseidade e alteridade em Merleau-Ponty. São Leopoldo: Nova Harmonia, 2009.

Publicado
2017-12-20
Como Citar
Santos, R. dos. (2017). A carne como estrutura ontológica em Merleau-Ponty. Intuitio, 10(2), 116-129. https://doi.org/10.15448/1983-4012.2017.2.27998