Sobre o sentido do humanismo em Martin Heidegger

  • Neusa Rudek Onate UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Palavras-chave: Humanismo, Heidegger, Metafísica.

Resumo

Este trabalho tem por objetivo investigar o sentido originário para o fundamento do conceito de “humanismo” na carta de Martin Heidegger a Jean Beaufret intitulada Carta sobre o humanismo (1946). A partir da exposição do pensamento e do arcabouço conceitual-argumentativo de Heidegger na referida obra, o trabalho consistirá em determinar o sentido mais amplo da mesma inserido no contexto da história da metafísica, bem como o sentido mais radical e profundo de humanismo para uma compreensão originária de sua significação, abandonando uma compreensão tradicional de humanismo que remonta a um sentido ôntico da existência humana. O trabalho apresenta uma explanação da originalidade do conceito em questão sob a luz grega presente no pensamento de Heidegger.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Neusa Rudek Onate, UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Mestranda em filosofia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Linha de Pesquisa Metafísica e Conhecimento.

Referências

HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo. Parte I. 15. ed. Tradução de Márcia Sá Cavalcante Schuback. Rio de Janeiro: Vozes, 2005.

____________, Martin. Ser e Tempo. Parte II. 13. ed. Tradução de Márcia Sá Cavalcante Schuback. Rio de Janeiro: Vozes, 2005.

____________, Martin. Seminarios de Zollikon. Tradução de Ángel Xolocotzi Yáñes. México: Herder, 2013.

_____________, Martin. Carta Sobre o Humanismo. Tradução de Ernildo Stein. São Paulo: Abril Cultural, 1979.

_____________, Martin. Carta Sobre o Humanismo. 2ª ed. Tradução de Rubens Eduardo Frias, São Paulo: Centauro, 2005.

_____________, Martin. Meu caminho para a fenomenologia. Tradução de Ernildo Stein. São Paulo: Abril Cultural, 1979.

______________, Carta de Heidegger a Husserl En «Cahier de L’Herne: Heidegger», pp. 66-69. Sitio creado y actualizado por Horacio Potel.

BEAUFRET, Jean. Al encuentro de Heidegger. Tradução de Juan Luis Delmont. Venezuela: Monte Avila Latinamericana, 1987.

BLANC, Mafalda de Faria. Estudos sobre o ser II. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 2001.

CARR, David. The question of the subject: Heidegger and the transcendental tradition. Human Studies 17: 403-418, KluwerAcademic. Department of Philosophy, Emory University, Atlanta: Netherlands, 1995.

COUSINEAU, Robert H. Heidegger, humanism and ethics: an introduction to the letter on humanism. Louvain: Nauwelaerts, 1972.

DREYFUS, Hubert L.; WRATHALL, Mark A. A Companion to Heidegger. Austrália: Blackwell. 2005.

DUQUE, Félix. Contra el Humanismo. Madrid: Abada, 2003.

____________, Félix. En torno al humanismo: Heidegger, Gadamer, Sloterdijk. Madrid: Tecnos, 2006.

GIACOIA, Oswaldo. Heidegger urgente: introdução a um novo pensar. São Paulo: Três Estrelas, 2013.

INWOOD, Michael. Dicionário Heidegger. Tradução de Luísa Buarque de Holanda. Rio de Janeiro: Zahar, 2002.

KAHLMEYER-MERTENS, Roberto Saraiva. 10 Lições sobre Heidegger. Petrópolis: Vozes, 2015.

KELLER, Pierre. Husserl and Heidegger on Human Experience. The Philosophical Review, Vol. 113, No. 3 (July 2004) Cambridge: Cambridge University Press, 1999. Pp. v, 261.

KRELL, David Farrel. Martin Heidegger Basic writings: from Being and Time (1927) to The Task of Thinking (1964). New York: Harper San Francisco,1993.

LEÃO, Emmanuel Carneiro. Aprendendo a pensar. Petrópolis, Vozes, 1977.

LUYPEN, W. La fenomenologia es un humanismo. Tradução de Pedro Martin y de la Cámara. Buenos Aires: Carlos Lohlé, 1967.

ONATE, Alberto Marcos. O lugar do transcendental. Rev. Filos., v. 19, n. 24, p. 131-145, jan./jun. 2007.

POLT, Richard. Heidegger an introduction. New York: Cornell University Press. 1999.

RABINABACH, Anson. Heidegger's Letter on Humanism as Text and Event. New German Critique, No. 62 (Spring - Summer, 1994), pp. 3-38 Published by: New German Critique Stable URL: http://www.jstor.org/stable/488507 . Accessed: 01/09/2011 19:00.

RICHARDSON, William J. Heidegger: Through Phenomenology to Thought. New York: Fordham University Press, 2003.

SARTRE, Jean-Paul. O Existencialismo é um Humanismo. 3ª ed. Tradução de João Batista Kreuch, Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

SLOTERDIJK, Peter. Reglas para el Parque Humano. Una respuesta a la “Carta sobre el Humanismo de Heidegger”. Tradução de Teresa Rocha Barco, Madrid: Siruela, 2000.

SOFFER, Gail. Heidegger, Humanism, and the Destruction of History. The Review of Metaphysics, Vol. 49, No. 3 (Mar., 1996), pp. 547-576 Published by: Philosophy Education Society Inc. Stable URL: http://www.jstor.org/stable/20129896 . Accessed: 01/09/2011 19:05.

VATTIMO, Gianni. El fin de la modernidad. Tradução de Alberto L. Bixio. Espanha, Gedisa, 1986.

Publicado
2018-12-13
Como Citar
Onate, N. R. (2018). Sobre o sentido do humanismo em Martin Heidegger. Intuitio, 11(2), 87-100. https://doi.org/10.15448/1983-4012.2018.2.24420