A Prioridade do Justo Sobre o Bem na Filosofia Prática de Habermas: por uma transcendência a partir do contexto e para além dele.

  • Juliano Cordeiro da Costa Oliveira Universidade Federal do Ceará
Palavras-chave: Justo, Bem, Filosofia Prática, Habermas

Resumo

Jürgen Habermas parte da ideia de que uma sociedade democrática moderna não se caracteriza apenas por um pluralismo de doutrinas religiosas, filosóficas e morais abrangentes, e sim por um pluralismo de doutrinas incompatíveis entre si. Para ele, nas sociedades tradicionais, a ética constituía uma parte das cosmovisões ontológicas que formavam a base do consenso integrador dos sujeitos, implicando na prioridade de uma determinada visão de bem. Todavia, não há, em sociedades modernas e pluralistas, nenhum consenso substantivo de valores. Os fundamentos normativos passam a ser legítimos, na modernidade, através das deliberações dos sujeitos, e não mais por uma concepção particular de bem. Trata-se, em Habermas, da defesa de uma prioridade do justo sobre o bem, ou seja, de uma fundamentação discursiva e pós-tradicional das normas. Assim, explicitaremos, primeiramente, o contexto filosófico da defesa de Habermas acerca da uma prioridade do justo sobre o bem. Em seguida, enfatizaremos como MacIntyre e Taylor argumentam, ao contrário de Habermas, uma prioridade do bem frente ao justo. Habermas consegue responder aos desafios propostos pelos comunitaristas? Por conseguinte, destacaremos como Habermas, embora defenda uma ética formal e universal, justifica que a razão comunicativa não ignora os contextos formadores das identidades dos sujeitos. Determinante, então, é o conceito de mundo da vida. Enfim, mostraremos como a filosofia prática de Habermas deve ser repensada a partir das inovações teóricas de Verdade e Justificação, uma vez que as questões de filosofia prática passam, agora, a serem apenas questões de justificação, e não mais de verdade, como outrora.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliano Cordeiro da Costa Oliveira, Universidade Federal do Ceará
Doutorando em Filosofia pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e bolsista CAPES.

Referências

ARAÚJO, L. Pluralismo e Justiça: estudos sobre Habermas. São Paulo: Edições Loyola, 2010.

DUTRA, D. Da Revisão do Conceito Discursivo de Verdade em Verdade e Justificação. [email protected] Florianópolis, v.2, n.2, p.219-231, 2003, p.219-231.

FORST, R. Contextos da Justiça: Filosofia Política para além de liberalismo e comunitarismo. São Paulo: Boitempo Editorial, 2010.

HABERMAS, J. Pensamento Pós-metafísico: Estudos Filosóficos. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1990.

_____. Comentários à Ética do Discurso. Lisboa: Instituto Piaget, 1991.

_____. A Inclusão do Outro: Estudos de Teoria Política. São Paulo: Edições Loyola, 2002.

____. Verdade e Justificação: Ensaios Filosóficos. São Paulo: Edições Loyola, 2004a.

____. A Ética da Discussão e a Questão da Verdade. São Paulo: Martins Fontes, 2004b.

____. Entre Naturalismo e Religião: estudos filosóficos. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2007.

____. Teoria do Agir Comunicativo 2: Sobre a crítica da razão funcionalista. São Paulo: Martins Fontes, 2012.

LIMA, C. Ética de Coerência Dialética. In: OLIVEIRA, M. Correntes Fundamentais da Ética Contemporânea. 3.ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2008.

MACINTYRE, A. Justiça de Quem? Qual Racionalidade? 2.ed. São Paulo: Loyola, 2001.

OLIVEIRA, J. Jürgen Habermas: o problema do naturalismo fraco e a nova perspectiva sobre verdade e justificação. Intuitio. Porto Alegre. Vol.7, nº1, 2014, p.226-238.

OLIVEIRA, M. Reviravolta Linguístico-Pragmática na filosofia contemporânea. 2.ed. São Paulo: Edições Loyola, 2001.

PUNTEL, L. Estrutura e Ser: Um quadro referencial teórico para uma filosofia sistemática. São Leopoldo: Editora Unisinos, 2008.

TAYLOR, C. Multiculturalismo: examinando a política de reconhecimento. Lisboa: Instituo Piaget, 1994.

TUGENDHAT, E. Lições Sobre Ética. Petrópolis: Vozes, 1997.

Publicado
2016-12-20
Como Citar
Oliveira, J. C. da C. (2016). A Prioridade do Justo Sobre o Bem na Filosofia Prática de Habermas: por uma transcendência a partir do contexto e para além dele. Intuitio, 9(2), 46-60. https://doi.org/10.15448/1983-4012.2016.2.20315