O sentido ético dos conceitos de nada e liberdade em sartre e krishnamurti

  • roust rosa vieira Universidade Federal de Uberlândia
Palavras-chave: Sartre. Krishnamurti. Ego. Liberdade. Ética.

Resumo

O presente trabalho visa elucidar questões referentes ao conceito de liberdade, de Jean-Paul Sartre, de forma vinculada às discussões do filósofo indiano Jiddu Krishnamurti no campo ético, moral e do autoconhecimento. Sartre (2005) afirma, no último capítulo de seu ensaio de ontologia fenomenológica O ser e o nada, que não é da alçada da ontologia formular prescrições morais. No entanto, suas ideias a respeito da liberdade humana e da responsabilidade supõem uma ética e uma possibilidade de escolha moral para o homem. Neste sentido, esta breve pesquisa se propõe a investigar como as principais ideias de Sartre repercutem na filosofia de Krishnamurti, adquirindo um sentido explicitamente ético. Parte-se do pressuposto, portanto, de que os conceitos de consciência transcendental, Nada, Para-si e liberdade, de Jean Paul Sartre, encontram eco nas discussões de Krishnamurti. Deste modo, em consonância com o objetivo proposto, o presente trabalho apresentará a tese fundamental de Sartre de que o Ego é um objeto transcendente à consciência, e como tal, por conseguinte, ele não se encontra nem formalmente nem materialmente na consciência, mas que é um ser existente no mundo, quer dizer, um ser que revela-se sempre como um objeto transcendente visado pela consciência. A proposição do cogito pré-reflexivo, em Sartre, que indica que a consciência é uma imanência absoluta, isto é, de que ela é vazia de todo conteúdo, remete explicitamente às concepções de Krishnamurti no domínio da subjetividade originária, das relações entre o observador e a coisa observada. Krishnamurti assume o ponto de vista fenomenológico ao tratar dos atos de reflexão, de pensamento, como transcendentes visados por uma consciência em pleno estado de lucidez, de espontaneidade. Tal como Sartre, ele afirma deste modo a liberdade absoluta da consciência humana com relação ao Ego.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

roust rosa vieira, Universidade Federal de Uberlândia
Mestrado Filosofia UFU

Referências

BELO, Renato Santos Belo. O paradoxo da liberdade: psicanálise e história em Sartre. Dissertação de mestrado. São Paulo: USP 2006.

BERGSON, Henry. A evolução criadora. Tradução de Adolfo Casais Monteiro. Rio de Janeiro: Opera Mundi, 1971.

BOHM, David; KRISHNAMURTI, Jiddu. The limits of thought. Krishnamurti Foundation of America, 1982.

HEIDEGGER, Martin. Ser e tempo. Tradução de Marcia Sá Cavalcante Schuback. Petrópolis: Editora Vozes, 2005.

HUSSERL, Edmund. Leçons pour une phénoménologie de la conscience intime du temps. Trad. Henri Dussort. Paris, Presses Universitaires de France, 1964.

HUSSERL, Edmund. Méditations Cartésiennes. Traduit par Gabrielle Peiffer et Emmanuel Lévinas. Paris: Librairie Philosophique J.Vrin, 1953.

KRISHNAMURTI, Jiddu. Sobre Deus. Tradução de Cecília Casas. São Paulo: Cultrix, 1992.

_____________________. Liberte-se do passado. Tradução de Hugo Veloso. São Paulo: Cultrix, 1969.

____________________. Obras completas. Buenos Aires: Kier, 1995.

LÉVINAS, Emmanuel. Théorie de l’intuition dans La Phénoménologie de Husserl. Paris: Librairie Philosophique J.Vrin, 1994.

MACHADO, Fabiane Schneider. O ego como problema existencial em Sartre. Dissertação de mestrado. Santa Maria, RS: UFSM 2011.

PERDIGÃO, Paulo. Existência e liberdade: uma introdução à filosofia de Sartre. Porto Alegre: L&PM, 1995.

SARTRE, Jean Paul. A transcendência do ego. Tradução de Pedro M. S. Alves. Lisboa: Edições Colibri, 1994.

______________________. L'être et le néant. Paris: Éditions Gallimard, 1943.

______________________. O ser e o nada. Tradução de Paulo Perdigão. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

______________________. O existencialismo é um humanismo. Tradução de Rita Correia Guedes. Paris: Les Éditions Nagel, 1970.

SOARES, Noemi Salgado. Sobre uma pedagogia para o autoconhecimento: diálogo com algumas concepções educacionais de Jiddu Krishnamurti. Tese de doutorado. Salvador: UFBA/FACED 2001.

Publicado
2015-12-03
Como Citar
vieira, roust rosa. (2015). O sentido ético dos conceitos de nada e liberdade em sartre e krishnamurti. Intuitio, 8(2), 76-93. https://doi.org/10.15448/1983-4012.2015.2.18713
Seção
Artigos