Crença teísta e evolução: uma abordagem a partir de Alvin Plantinga

  • Welinton Ricardo da Silveira Porto Universidade de Brasília
Palavras-chave: Naturalismo, Teísmo, Evolução, Faculdades Cognitivas

Resumo

Este artigo analisa a crítica de Alvin Plantinga ao naturalismo presente na psicologia evolutiva e verifica se a teoria da dupla herança responde adequadamente à questão da confiabilidade de nossas faculdades cognitivas. Plantinga defende que a associação do naturalismo com a evolução é prejudicial à ciência, devido ao estabelecimento de um conflito profundo entre naturalismo e ciência por causa, entre outras coisas, da suspeita que tal associação traz com respeito as nossas faculdades cognitivas. Por outro lado, ele defende um acordo profundo entre ciência e religião, em razão de o teísmo não se comprometer com o naturalismo, garantindo a confiabilidade em tais faculdades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Welinton Ricardo da Silveira Porto, Universidade de Brasília
Professor do Centro Filosófico-teológico Redemptoris Mater de Brasília (Instituto afiliado à Pontificia Università Lateranense)

Referências

ABRANTES, P. C. “A psicologia de senso comum em cenários para a evolução da mente humana”. In: Manuscrito- Rev. Int. Fil., São Paulo, Vol. 29: n.1, p. 185-257, 2006.

______, P. C. C.; ALMEIDA, F. P. L. de. “Evolução humana: a teoria da dupla herança”. In: ______, P. C. C. (org.). Filosofia da Biologia. Porto Alegre: Artmed, 2011. 326p.

______, P. C. C.; ______, F. P. L. de. “A teoria da dupla herança e a evolução da moralidade”. In: Principia, Florianópolis, Vol. 16, n. 1, pp. 1-32, abr. 2012.

DAWES, G. W. Theism and explanation. New York: Routledge, 2009. 211p.

DAWKINS, R. O relojoeiro cego. Tradução de Isabel Arez. Lisboa: Edições 70, 1986. 377p.

DUNBAR, R. I. M.; BARRET, L. Oxford Handbook of Evolutionary Psychology. New York: Oxford University Press Inc., 2007. 720p.

FLAVELL, J. La psicologia evolutiva de Jean Piaget. Trad.: Marie Thérese Cevasco. Buenos Aires: Paidós, 1968. 484p.

GOLD, S. J.; LEWONTIN, R. C. “The Spandrels of San Marco and the Panglossian Paradigm: A Critique of the Adaptationist Programme”. In: Proc. R. Soc. B, London, n. 205, 1979, p. 581-598.

HAUGHT, J. F. “Is nature enough? No”. In: Zygon, Chicago, n. 38, p. 769-782, 2003.

MEYER, S. C. Darwin’s doubt: Explosive Origin of Animal Life and the Case for Intelligent Design. New York: HarperOne, 2013.

PLANTINGA, Alvin. Where The Conflict Really Lies. New York: Oxford University Press Inc., 2012. 336p.

RUBEN, D. H. (org.), Explanation. New York: Oxford University Press Inc., 2004. 376p.

SEGERSTRALE, U. Defenders of the Truth: The Battle for Science in the Sociobiology Debate and Beyond. New York: Oxford University Press Inc., 2000. 504p.

Publicado
2015-07-31
Como Citar
Porto, W. R. da S. (2015). Crença teísta e evolução: uma abordagem a partir de Alvin Plantinga. Intuitio, 8(1), 261-275. https://doi.org/10.15448/1983-4012.2015.1.18665
Seção
Artigos