Ateísmo, razão e história: a crítica de Pierre Bayle ao consensus universalis

  • Marcelo Primo (UFS) Universidade Federal de Sergipe - Professor colaborador e bolsista de pós-doutorado PNPD/CAPES
Palavras-chave: Bayle, ateísmo, razão, história

Resumo

No presente artigo, trataremos de expor e analisar a reflexão e crítica de Pierre Bayle ao fenômeno da opinião. Segundo o filósofo francês, o maior perigo de depositar demasiada confiança em determinadas proposições acerca de questões polêmicas é que opiniões são adotadas e disseminadas sem que passem por um critério de examen, o qual é alicerçado tanto na experiência como em sólidas razões. Falsas opiniões passadas de geração a geração são o motivo tanto do engrandecimento como do fortalecimento de pseudo-autoridades, as quais, dispensando o difícil trabalho do exame de suas considerações, se limitam a critérios quantitativos. Opondo-se radicalmente ao fenômeno da pluralité des voix e à sua utilização como criterium veritatis das opiniões, Bayle afirma a filosofia associando-a à noção de exame, isto é, como um instrumento crítico que passará em revista todas as opiniões e seus argumentos pró e contra, por meio da razão e da história.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2014-11-18
Como Citar
Primo (UFS), M. (2014). Ateísmo, razão e história: a crítica de Pierre Bayle ao consensus universalis. Intuitio, 7(2), 172-183. https://doi.org/10.15448/1983-4012.2014.2.18332
Seção
Artigos