Educação e política em Theodor Adorno: para onde a educação deve conduzir?

  • Luana Aparecida de Oliveira Unioeste
Palavras-chave: Educação. Emancipação. Adaptação. Resistência.

Resumo

A partir das contribuições filosóficas da Teoria Crítica de Theodor W. Adorno para o debate político-educacional, pretendemos problematizar o modelo ideológico da semiformação instituída que embasa o sistema de ensino vigente, este que por meio de suas práticas reforça os valores egoístas, competitivos e consumistas próprios da sociedade em que reina o capitalismo tardio. Nesse sentido é importante que se faça a pergunta: para onde a educação deve conduzir o sujeito? Para este fim, nosso objetivo é fazer o confronto crítico desta educação que propaga a semiformação, com a proposta adorniana de uma educação comprometida com a formação emancipatória do sujeito. Em meio a esta temática serão abordados os principais conceitos da filosofia de Adorno de modo a esclarecer os elementos que os constituem, articulando sua relação com a educação e seu caráter político, sendo eles: razão instrumental, não-idêntico, experiência formativa, semiformação, barbárie, indústria cultural, resistência, adaptação e emancipação. Também será exposto o caráter ambíguo da educação, ela que se apresenta simultaneamente como adaptação e como resistência. No entanto, defenderemos que em tempos de conformação cega com o status quo, torna-se necessário que a educação se volte para a primazia (provisória) da resistência, de modo à refortalecer o potencial de auto-reflexão crítica, e, por conseguinte, de contestação do sujeito frente à sua adaptação à ordem social vigente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADORNO, Theodor W. Educação e Emancipação. Tradução: Wolfgang Leo Maar. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995.190p.

¬___________________. Teoria da Semicultura. In: Educação e sociedade n. 56. Tradução Bruno Pucci, Cláudia B. M. de Abreu e Newton Ramos-de-Oliveira. 1996. p. 388-411..

____________________. Conceito de Iluminismo. In: Os Pensadores. Textos escolhidos. Tradução: Luiz João Baraúna. São Paulo: Nova Cultural, 1999. p. 17-64

DUARTE, Rodrigo Antônio de Paiva. Mímesis e racionalidade: a concepção de domínio da natureza em Theodor W. Adorno. São Paulo: Loyola, 1993.

MAAR, Wolfgang Leo. Educação Crítica, Formação Cultural e Emancipação Política na Escola de Frankfurt. In: PUCCI, Bruno (org.). Teoria Crítica e Educação: A questão da formação cultural na escola de Frankfurt. Petrópolis: Vozes, 1995. p. 59-82..

PUCCI, Bruno. Teoria Crítica e Educação. In: PUCCI, Bruno (org.). Teoria Crítica e Educação: a questão da formação cultural na escola de Frankfurt. Petrópolis: Vozes, 1995. p. 11-58.

____________ . A dialética negativa enquanto metodologia de pesquisa em educação: atualidades. Revista E-curriculum, São Paulo, v.8 n.1 Abril 2012.

_____________. “Anotações sobre teoria e práxis educativa.” Disponível em: <<http://www.unimep.br/~bpucci/anotacoes-teoria-praxis.pdf.>> Acessado em 16 de maio de 2014.

¬¬¬¬¬¬¬¬ZUIN, Antônio Álvaro Soares. Seduções e Simulacros: considerações sobre a indústria cultural e os paradigmas da resistência e da reprodução em educação. In: PUCCI, Bruno (org.). Teoria Crítica e Educação: A questão da formação na escola de Frankfurt. Petrópolis: Vozes, 1995. p.151-176.

Publicado
2015-07-31
Como Citar
Oliveira, L. A. de. (2015). Educação e política em Theodor Adorno: para onde a educação deve conduzir?. Intuitio, 8(1), 64-74. https://doi.org/10.15448/1983-4012.2015.1.17556
Seção
Artigos