A justificação de uma moral compartilhada

  • Régis Franco Casarin

Resumo

Nesse texto exponho a análise que Tugendhat faz, no artigo O problema de uma moral autônoma, sobre a justificação de uma moral autônoma. Começo com a explanação sobre a diferença entre moral heterônoma e autônoma. Depois passo a apresentar a visão histórica sobre a temática da moral autônoma. Aqui o nosso autor analisa três visões: autonomia kantiana, Contratualismo e moral da compaixão de Schopenhauer. Exponho, então, o pensamento de Tugendhat sobre o que ele entende por moral autônoma, a necessidade desta ser compartilhada e ter por base e justificação uma raiz dupla: interesse próprio e compaixão. Finalmente faço algumas observações sobre o conceito de moral apresentado pelo próprio Tugendhat e sobre a realidade da justificação da moralidade exposta pelo nosso autor.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2012-11-19
Como Citar
Casarin, R. F. (2012). A justificação de uma moral compartilhada. Intuitio, 5(2), 96-108. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/intuitio/article/view/12653
Seção
Dossiê