O «liberalismo dialético» de Hegel: Em direção a «Aufhebung» do liberalismo clássico

  • Jonathan David Arriola (PUCRS) Universidad de la República, Montevideo
Palavras-chave: Hegel, Liberalismo, Dialética, Teoria política.

Resumo

No presente trabalho nos pretendemos abordar o polêmico tema do liberalismo de Hegel. Nossa tese principal será que Hegel considera um “novo” liberalismo que aponta tanto a superar como a conservar ao liberalismo clássico. Daí que nos digamos o que Hegel pretende é uma «Aufhebung» do liberalismo convencional. Dado que o que distingue o trabalho de Hegel do liberalismo clássico é a introdução do método dialético, nos batizamos ao liberalismo sui generis de Hegel como «liberalismo dialético». Para defender esta tese, nos estruturamos o trabalho em quatro partes. Uma primeira parte na que nos exporemos as diversas leituras que foram ensaiadas sobre a obra de Hegel. Uma segunda que busca mostrar as diferenças conceptuais e metodológicas que o filósofo alemão exibe com respeito ao liberalismo clássico e que se propõe superar – como são a visão individualista da sociedade e a concepção negativa da liberdade-. Uma terceira na que nos explicitamos o conteúdo propriamente liberal do liberalismo dialético de Hegel. E, pelo último, umas considerações finais onde nos concluímos que, em poucas palavras, o liberalismo dialético de Hegel é defensor de um individualismo atenuado, de una concepção positiva da liberdade e de uma visão nacionalista moderada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jonathan David Arriola (PUCRS), Universidad de la República, Montevideo
Montevideo, Agaces 3629 Apto. 4
Publicado
2013-06-16
Como Citar
David Arriola (PUCRS), J. (2013). O «liberalismo dialético» de Hegel: Em direção a «Aufhebung» do liberalismo clássico. Intuitio, 6(1), 31-52. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/intuitio/article/view/12415
Seção
Artigos