O cinema brasileiro diante de um presente incendiário: o filme O Caso dos Irmãos Naves (1967), de Luís Sérgio Person, e o despertar das consciências durante o regime de exceção

  • Jaison Castro Silva Universidade Federal do Piauí
Palavras-chave: cinema brasileiro, narrativa cinematográfica, ditadura militar

Resumo

O artigo analisa as diversas opiniões sobre o filme O Caso dos Irmãos Naves (1967), de Luís Sérgio Person, contidas na crítica cinematográfica da época da estreia do filme, que mobilizaram questões humanistas fundamentais, principalmente no que diz respeito à abordagem das violentas cenas de tortura, muitas vezes acusadas de sadismo, existentes naquela película. Em meio à discussão sobre a narrativa cinematográfica e às possibilidades de apagamento do cineasta frente à representação documental da verdade, despontava o debate sobre como as formas imagéticas de produção de sentido podem mobilizar sentimentos e/ou acionar consciências de maneira política. A abordagem histórica, a partir de referências como Walter Benjamin e Giorgio Agamben, insere-se na discussão sobre visualidade, investigando como, apesar de um quadro de referências comum, o período apresentava diferentes formas de acionar as imagens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jaison Castro Silva, Universidade Federal do Piauí
Doutor em História Social pela Universidade Federal do Ceará, com doutorado sanduíche em Indiana University. Professor colaborador do Programa de Pós-Graduação em História do Brasil - UFPI e Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológioc do Instituto Federal do Piauí. Estuda as relações entre cinema e história, cinema brasileiro nas décadas de 1950 e 1960, teoria da história, teoria da imagem e o pensamento de Walter Benjamin.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Chapecó, SC: Argos; Unochapecó, 2009.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense, 1994.

______. As afinidades eletivas de Goethe. In: BENJAMIN, Walter. Ensaios reunidos: escritos sobre Goethe. São Paulo: Ed. 34; Duas cidades, 2009, p. 11-123.

BERNARDET, Jean-Claude. O autor no cinema: a política dos autores: França e Brasil anos 50 e 60. São Paulo: Brasiliense; Edusp, 1994.

______. Historiografia clássica do cinema brasileiro. São Paulo: Annablume/FAPESP, 1996.

BERNARDET, Jean-Claude; GALVÃO, Maria Rita. Cinema – repercussões em caixa de eco ideológica: nacional e popular na cultura brasileira. São Paulo: Embrafilme; Brasiliense, 1983.

BORDWELL, David; THOMAS, Kristin. Film history: an introduction. 2. ed. New York: McGraw Hill, 2003.

BUCK-MORSS, Susan. Dialectics of seeing: Walter Benjamin and the arcade project. Cambridge: MIT press, 1991.

CALIL, Carlos Augusto. Posfácio: João Cláudio Jorge Renato 67. In: BERNARDET, Jean-Claude. Brasil em tempo de cinema: ensaio sobre o cinema brasileiro de 1958 a 1966. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.p. 185-191.

CHARTIER, Roger. História cultural: entre práticas e representações. Lisboa: Difel; Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990.

CHAUÍ, Marilena. Seminários. São Paulo: Brasiliense, 1983.

DIDI-HUBERMAN, Georges. O que vemos, o que nos olha. São Paulo: Ed. 34, 1998.

______. Ante el tiempo: Historia del arte y anacronismo de las imágenes. Buenos Aires: Adriana Hildalgo ed, 2011.

DREIFUSS, René Armand. 1964, a conquista do Estado. Rio de Janeiro, Vozes 1981.

FICO, Carlos. Além do golpe: versões e controvérsias sobre 1964 e a ditadura militar. Rio de Janeiro: Record, 2004.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Identificação e kathársis no teatro épico de Brecht. In: GAGNEBIN, Jeanne Marie. Limiar, aura e rememoração: ensaios sobre Walter Benjamin. São Paulo: Ed. 34, 2014. p. 141-154.

GINZBURG, Carlo. De A. Warburg a E. H. Gombrich: um problema de método. In: GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas e sinais: morfologia e história. São Paulo: Companhia das Letras, 1989. p. 41-93.

HABERMAS, Jürgen. O discurso filosófico da modernidade: doze lições. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

JAMESON, Fredric. Brecht e a questão do método. São Paulo: Cosac Naify, 2013.

JOHNSON, Randal. The film industry in Brazil: Culture and State. Pittsburgh: Pittsburgh press, 1987.

MENESES, Ulpiano Toledo Bezerra. Fontes visuais, cultura visual, história visual: Balanço histórico, propostas cautelares. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 23, n. 45, p. 11-36, 2003.

______. Rumo a uma “história visual”. In: MARTINS, José de Souza; ECKERT, Cornélia; NOVAES, Sylvia Caiuby (Org.). O imaginário e o poético nas ciências sociais. Bauru, SC: EDUSC, 2005. p. 33-56.

MORAIS, Ninho. Radiografia de um filme: São Paulo S.A. de Luiz Sergio Person. São Paulo: Imprensa oficial, 2010.

NOVAES, Adauto. Intelectuais em tempos de incerteza. In: NOVAES, Adauto (Org.). O silêncio dos intelectuais. São Paulo: Companhia das letras, 2006, p. 07-18.

RAMOS, Alcides Freire. O canibalismo dos fracos: cinema e história do Brasil. Bauru, SP: EDUSC, 2002.

RAMOS, Fernão Pessoa. A imagem-câmera. Campinas, SP: Papirus, 2012.

RAMOS, José Mário Ortiz. Cinema, estado e lutas culturais. Anos 50, 60, 70. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

SIMIS, Anita. Estado e cinema no Brasil. São Paulo: Annablume; Fapesp; Itaú Cultural, 2008.

SCHWARZ, Roberto. Altos e baixos da atualidade de Brecht. In: SCHWARZ, Roberto. Sequências brasileiras. São Paulo: Companhia das Letras, 1999. p. 137-181.

TOLEDO, Caio Navarro. ISEB: Fábrica de ideologias. São Paulo: Ática, 1977.

______ (Org.). Intelectuais e política no Brasil: a experiência do ISEB. Rio de Janeiro: Revan, 2005.

XAVIER, Ismail. O discurso cinematográfico: a opacidade e a transparência. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008.

______. Alegorias do subdesenvolvimento. São Paulo: Cosac Naify, 2012.

ALAMY FILHO, João. O caso dos irmãos naves: um erro judiciário. Belo Horizonte: Del Rey, 1986.

ALVES, Márcio Moreira [1966]. Torturadores e torturados. Rio de Janeiro: [S.n.], 1996.

AZEREDO, Ely. Todos os estilos do mundo. Filme Cultura, Rio de Janeiro, n. 05, 16-17, jul.-ago. 1967a.

______. O filme em questão: O Caso dos Irmãos Naves. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 23 set. 1967b, Caderno B, p. 08.

BERNARDET, Jean-Claude [carta] 21 jul. 1967, São Paulo [para] ROCHA, Glauber. s. n. 8 f. Sobre Person e A Hora dos Ruminantes. In: BENTES, Ivana (Org.). Glauber Rocha: cartas ao mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 1997, p. 284.

______. Caso Naves. In: BERNARDET, Jean-Claude; PERSON, Luís Sérgio. O Caso dos Irmãos Naves: chifre em cabeça de cavalo. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, 2004.

______. [1967]. Brasil em tempo de cinema: ensaio sobre o cinema brasileiro entre 1958 a 1966. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

BIÁFORA, Rubem. O erro judiciário em O Caso dos Irmãos Naves, O Estado de São Paulo, São Paulo, 04 jun. 1967, p. 21.

BIANCO, Armindo. Um dia as manchetes quando já era tarde. O Globo, Rio de Janeiro, 25 set. 1967, s/p. Recortes da Cinemateca Brasileira, último acesso, mar. 2012.

BONOMI, Andrea. Filme, realidade e linguagem: perspectiva fenomenológica. Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, n. 07, 33-44, out. 1965.

CASO dos Irmãos Naves. Material publicitário. São Paulo: Lauper Films, 1967.

GULLAR, Ferreira. Cultura posta em questão. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1965.

______. Vanguarda e subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969.

LEITE, Sebastião Uchoa. Cultura Popular: esboço de uma resenha crítica. Revista Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, n. 4, 269-

, jan. 1966.

NUNES, Benedito. O dorso do tigre: ensaios. São Paulo: Perspectivas, 1969.

PERSON inicia nova película. O Estado de São Paulo, São Paulo, 30 out. 1966, p. 11.

PERSON, Luís Sérgio. Person: auto-análise e cinema verdadeiro (depoimento concedido a Miriam Alencar – parte 1). Folha de São Paulo, São Paulo, 17 abr. 1967a., s/p. Recortes da Cinemateca Brasileira, último acesso mar. 2012.

______. Depoimento. In: NOVA fita de Person. O Estado de São Paulo, São Paulo, 28 maio 1967b, p. 15.

______. Person e o cinema paulista (entrevista a Alfredo Sternheim). Filme Cultura. Rio de Janeiro, INC, n. 05, ano I, 18-21, jul.-ago. 1967c.

RITTNER, Maurício. ‘Irmãos Naves’ filme aberto. O Estado de São Paulo, São Paulo, 08 jun. 1967a, p. 12.

_____. Alcance da fita de Person. O Estado de São Paulo, São Paulo, 20 jun. 1967b, p. 20.

ROCHA, Glauber. [carta]? maio 1971, Santiago, Chile [para] GUEVARA, Alfredo, Havana. Cuba 13 f. Sobre a revista Cine Cubano, o cinema revolucionário e atualização sobre a situação de cinema no Brasil. In: BENTES, Ivana (Org.). Glauber Rocha: cartas ao mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 1997, p. 405.

ROCHA, Glauber; SANTOS, Nelson Pereira; VIANY, Alex. Cinema novo: origens, ambições e perspectivas. Revista Civilização Brasileira, n. 01, 185-196, 1965.

WEISS, Luiz. Sociologia da Violência. Suplemento Literário do Estado de São Paulo, São Paulo, 24 jun. 1967, p. 05.

Publicado
2017-03-23
Como Citar
Silva, J. C. (2017). O cinema brasileiro diante de um presente incendiário: o filme O Caso dos Irmãos Naves (1967), de Luís Sérgio Person, e o despertar das consciências durante o regime de exceção. Estudos Ibero-Americanos, 43(1), 191-203. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2017.1.24762