Vadios e política de povoamento na América portuguesa, na segunda metade do século XVIII

  • Antonio Cesar de Almeida Santos Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, RS
Palavras-chave: Século XVIII, Brasil colonial, Política pombalina

Resumo

Embora o combate à vadiagem, comportamento considerado contrário ao bem público, não se constitua urna novidade para o Estado português do século XVIII, Sebastião José de Carvalho e Melo, ministro de D. José I, sustentou uma política colonial de povoamento que objetivou integrar indígenas, moradores dispersos e "vadios" ao corpo político do reino, congregando-os em povoações institucionalizadas. Essa ação esteve apoiada nos princípios da Aritmética Política, para a qual a maior riqueza de um Estado era a sua população.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2001-12-31
Como Citar
Santos, A. C. de A. (2001). Vadios e política de povoamento na América portuguesa, na segunda metade do século XVIII. Estudos Ibero-Americanos, 27(2), 2-30. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2001.2.24432
Seção
Artigos