História da proibição do skate em Blumenau/SC (1999-2007)

  • Leonardo Brandão Universidade Regional de Blumenau - FURB
Palavras-chave: história, skate, proibição, Blumenau

Resumo

Este trabalho se insere num domínio historiográfico conhecido como “História do Esporte”. Tomamos como estudo de caso a prática do skate, atividade sualmente inserida no âmbito dos “Esportes Radicais” e que vem sendo praticada por um conjunto significativo de jovens. O recorte geográfico da pesquisa é o município de Blumenau/ SC, geralmente lembrado por ser palco da Oktoberfest. Nesta cidade, a prática do skate foi proibida pela Lei nº 5211, que entrou em vigor no dia 17 de maio de 1999, sendo revogada somente em 2007, durante a gestão do prefeito João Paulo Kleinübing. Para compreender os motivos que levaram o skate a ser proibido, foi realizada uma pesquisa com base em fontes impressas, jornais e revistas, e também através de entrevistas com os principais atores sociais envolvidos com a prática do skate nessa cidade. O objetivo foi analisar tanto os motivos que levaram à proibição dessa atividade em Blumenau quanto seu retorno à legalidade, mapeando a ação dos principais agentes desse processo e também narrando os episódios que envolveram os atos de restrição e coibição à atividade, geralmente efetuados pela guarda municipal. Concluiu-se que, embora a proibição da prática do skate tenha sido decretada em 1999, uma coibição bastante rígida a essa prática já existia desde o final da década de 1980. Além disso, seu retorno à legalidade, ocorrido com a revogação da lei no ano de 2007, foi conquistada através da pressão organizada pelos skatistas, liderada por George Gonçalves, Presidente da União Blumenauense de Esportes Radicais (UBER), e com o apoio da revista 100% skate, uma publicação nacional especializada nessa atividade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo Brandão, Universidade Regional de Blumenau - FURB
Professor Doutor vinculado ao Departamento de História e ao Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional (PPGDR) da Universidade Regional de Blumenau - FURB.

Referências

ANSCHAU, Quéli. Cidade e sociabilidade juvenil: uma experiência em Blumenau. Blumenau: Liquidificador Produtos Culturais, 2011.

BRANDÃO, Leonardo. Para além do esporte: uma história do skate no Brasil. Blumenau: Edifurb, 2014.

______. A Cidade e a tribo skatista: juventude, cotidiano e práticas corporais na história cultural. Dourados: Ed. UFGD, 2011.

CARESIA, Roberto Marcelo. Blumenau e a modernização urbana: alterando costumes (1940-1960). In: FERREIRA, Cristina (Org.). Visões do Vale: perspectivas historiográficas recentes. Blumenau: Nova Letra, 2000. p. 169-183.

CHIZZOTI, Antonio. Pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais. Petrópolis: Vozes, 2010.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro, DP&A, 2003.

MATTEDI, Marcos Antônio. A formação de políticas em Blumenau: o caso do problema das enchentes. In: THEIS, Ivo; MATTEDI, Marcos; TOMIO, Fabrício (Org.). Novos olhares sobre Blumenau: contribuições críticas sobre seu desenvolvimento recente. Blumenau: Edifurb, 2000. p. 195-230.

MAY, T. Pesquisa social: questões, métodos e processos. Porto Alegre: Artmed, 2004.

SANT’ANNA, Denise Bernuzzi de. Entre o corpo e a técnica: antigas e novas concepções. In: Motrivivência, ano XI, n. 15, p. 1-6, ago. 2000.

SIEBERT, Claudia. A legislação urbanística de Blumenau: 1850-1997. In: Dynamis. Blumenau, v. 8, n. 30, p. 113-131, 2000.

VIGARELLO, Georges. Treinar. In: CORBIN, Alain; COURTINE, Jean-Jacques; VIGARELLO, Georges. História do corpo: as mutações do olhar. Petrópolis: Vozes, 2008. p. 197-252.

Publicado
2016-04-09
Como Citar
Brandão, L. (2016). História da proibição do skate em Blumenau/SC (1999-2007). Estudos Ibero-Americanos, 42(2), 724-743. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2016.2.22966