Estado Novo: o fim das políticas regionais?

  • Luciano Aronne de Abreu
Palavras-chave: Estado Novo, Política Regional, Interventorias

Resumo

Em geral, a História Republicana do Brasil divide-se em antes e depois da Era Vargas, sendo este período o marco divisório entre o Brasil arcaico, marcado pelo clientelismo e pelo poder das tradicionais oligarquias políticas regionais, e o Brasil moderno, onde vigoram o universalismo de procedimentos e o ideal de manutenção da ordem e da unidade nacional. Ao longo deste texto, porém, procuramos demonstrar que o Brasil é, na verdade, um país sincrético, como define Edson Nunes, onde o arcaico e o moderno mantém-se em constante interação, mesmo após as reformas de tipo universalista implementadas durante os anos Vargas. Durante este período, portanto, ainda que as políticas regionais tenham, de fato, sido limitadas em sua autonomia, novos canais de acesso e influência ao poder central permitiram às tradicionais oligarquias a manutenção de seu poder regional.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2007-11-29
Como Citar
Abreu, L. A. de. (2007). Estado Novo: o fim das políticas regionais?. Estudos Ibero-Americanos, 33(1). https://doi.org/10.15448/1980-864X.2007.1.2245
Seção
Artigos