Portugal no Brasil: ‘Topografia’ da Embaixada Universitária de Coimbra

  • Elio Cantalicio Serpa Universidade Federal de Goiás, Universidade de São Paulo
  • José Adilçon Campigoto Universidade Estadual do Centro Oeste do Paraná, Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: viagem, topografia, autoritarismo, cultura política

Resumo

O presente artigo trata da viagem da Embaixada de Estudantes da Universidade de Coimbra ao Brasil em 1951, sob a coordenação do reitor Maximino Correia. Pressupomos que, na prática de textualização do Brasil e por intermédio de seu relatório, Maximino Correia operou com um repertório de informações e valores advindos da cultura política nacionalista autoritária, produzida por intelectuais fortemente ligados ao governo ditatorial de António de Oliveira Salazar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elio Cantalicio Serpa, Universidade Federal de Goiás, Universidade de São Paulo
Professor Associado da Universidade Federal de Goiás. Doutor em História Social. Pesquisador CNPq

Referências

CAMPIGOTO, José Adilçon. Interpretação de textos, de história e de intérprete. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 23, n. 46, p. 229-252, jul.-dez, 2003.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: Artes de Fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

COLI, Jorge. Primeira Missa e invenção da descoberta. In: NOVAES, Adauto. A descoberta do homem e do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

CORREIA, Maximino. Viagem ao Brasil da Embaixada Universitária de Coimbra. Relatos, Comentários, Discursos. Revista Brasília, Coimbra, v. XVIII, s/p, 1953.

DÁVILA, Jerry. Hotel trópico. O Brasil e o desafio da descolonização africana. 1950-1980. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

LESSA, Carlos (Org.). Os Lusíadas na aventura do Rio Moderno. Rio de Janeiro: FAPERJ, Record, 2002.

Ó, Jorge Ramos do. Os anos de ferro: dispositivo cultural durante a Política do Espírito-1933-1948. Lisboa: Estampa, 1999.

PAULO, Heloisa. Aqui também é Portugal: a colônia portuguesa do Brasil e o Salazarismo. Coimbra: Quarteto Editora, 2000.

REDONDO, Juan Carlos Jímenez. La relación política luso-española. In: Torre Gómez , Hipólito de la. Portugal y España Contemporáneos. Madrid: Marcial Pons, 2000. p. 271-286.

ROSAS, Fernando. O salazarismo e o homem novo: ensaio sobre o Estado Novo e a questão do totalitarismo. Análise Social, Lisboa, v. XXXV, n. 157, p. 1031, 1054, jun. 2001.

SERPA, Élio C. et al. O beijo através do Atlântico: o lugar do Brasil no panlusitanismo. Chapecó: Argos, 2001.

SILVA, Maria Luísa Portocarrero. Conceitos Fundamentais de Hermenêutica Filosófica. 2010. Disponível em: <http://www.uc.pt/fluc/lif/publicacoes/textos_disponiveis_online/

pdf/conceitos _hermeneutica3>. Acesso em: 20 fev. 2014.

TORGAL, Luís Reis. A Universidade e o Estado Novo. Coimbra: Livraria Minerva Editora, 1999.

______. História e Ideologia. Coimbra: Minerva, 1989.

Publicado
2016-02-11
Como Citar
Serpa, E. C., & Campigoto, J. A. (2016). Portugal no Brasil: ‘Topografia’ da Embaixada Universitária de Coimbra. Estudos Ibero-Americanos, 42(1), 53-74. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2016.1.21825
Seção
Dossiê: Pensamentos e práticas políticas conservadoras no século XX