A Voz de S. Tomé: romper com a modorra vincando o cinzentismo? (1947-1974)

  • Augusto Nascimento Universidade Nova de Lisboa
Palavras-chave: São Tomé e Príncipe, imprensa, colonialismo.

Resumo

O jornal A Voz de S. Tomé surgiu após a II Guerra, mais precisamente em 1947. Nascido da pulsão para a propaganda da obra feita, sujeito a censura, redigido por curiosos, o monolítico A Voz de S. Tomé tornou-se o único periódico onde, além de pálidos reflexos da vida local, se estampava uma propaganda cinzenta do regime e da metrópole colonizadora. De permeio, o jornal fornecia uma leitura do mundo a ser adoptada pelos ilhéus e pelos colonos. Não será muito arriscado supor que, na prática, A Voz de S. Tomé servia para perpetuar o isolamento. Neste texto sobre o jornal A Voz de S. Tomé (1947-1974) apresentar-se-ão contributos quer para a compreensão dos condicionalismos políticos sobre a imprensa, quer para a caracterização do seu papel na configuração do espaço público num território micro-insular, colonizado e sujeito a uma ditadura. Em 1970, as ilhas teriam 73.631 habitantes, dos quais 2.391 brancos. Após 1975, condicionalismos políticos similares pesaram na senda do novel país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANUÁRIO Estatístico – 1973. S. Tomé: Instituto Nacional de Estatística. Delegação de S. Tomé e Príncipe, 1973.

GARCIA, Luís Lima. Ideologia e propaganda colonial no Estado Novo: da Agência Geral das Colónias à Agência Geral do Ultramar 1924-1974. Coimbra: Universidade de Coimbra, 2011.

GORGULHO, Carlos de Sousa. Relatório anual. Ano 1945. S. Tomé: Imprensa Nacional de S. Tomé, 1946.

GONÇALVES, José Júlio. A informação na Guiné, em Cabo Verde e em São Tomé e Príncipe in Cabo Verde. Guiné. São Tomé e Príncipe. Lisboa: ISCSPU, 1965.

NASCIMENTO, Augusto. A sedição de 1931 em S. Tomé in História n. 1 (Nova Série). Lisboa, 1998.

______. Desporto em vez de política no São Tomé e Príncipe colonial. Rio de Janeiro: 7Letras, 2013.

______. Entre o mundo e as ilhas. O associativismo são-tomense nos primeiros decénios de Novecentos. São Tomé: UNEAS, 2005.

OLIVEIRA, João Nobre de. A imprensa cabo-verdiana 1820-1975. Macau: Fundação Macau, 1998.

OLIVEIRA, Jorge Eduardo da Costa. A economia de S. Tomé e Príncipe. Lisboa: IICT, 1993.

Publicado
2015-07-16
Como Citar
Nascimento, A. (2015). A Voz de S. Tomé: romper com a modorra vincando o cinzentismo? (1947-1974). Estudos Ibero-Americanos, 41(1), 58-78. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2015.1.20461