A fundação de periódicos literários no terceiro quartel do século XIX: em defesa da literatura ou em prol da política e da educação?

  • Rita Baleiro Universidade do Algarve - ESGHT
  • Filipa Perdigão Ribeiro Universidade do Algarve - ESGHT
Palavras-chave: Revistas e jornais literários. Questão Coimbrã. 1855-1865.

Resumo

O artigo apresenta 8 textos-fundação de periódicos literários portugueses (1855-1865). Pretende estudar as publicações nascidas durante a polémica literária portuguesa – a Questão Coimbrã – e, aplicando análise de texto detalhada, analisar: a) a linha editorial das publicações; b) a relação estabelecida com os leitores; c) para que público(s) escreviam? A análise regista uma preocupação didática, reflexo do contexto socio-histórico de promoção da instrução pública, quando mais de 70% da população era analfabeta e, em alguns casos, para o estreitamento de relações com o Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rita Baleiro, Universidade do Algarve - ESGHT
Universidade do Algarve (Portugal), Professora Adjunta, doutorada em Ciências Literárias pela Universidade Nova de Lisboa (Portugal).
Filipa Perdigão Ribeiro, Universidade do Algarve - ESGHT
Universidade do Algarve (Portugal), Professora Adjunta, PhD em Linguística Aplicada pela Lancaster University (UK).

Referências

AA.VV. Jornalismo e literatura. Actas do II encontro Afro-Luso-Brasileiro. 1986, Porto. Lisboa: Vega, 1988. 132 p.

BANDEIRA, António Rangel. Território e fronteiras do jornalismo e da literatura. In: AA.VV (Eds.). Jornalismo e literatura. Actas do II encontro Afro-Luso-Brasileiro. 1986, Porto. Lisboa: Vega, 1988. p. 73-78.

BRUNO, Sampaio. Geração nova. Porto: Lello e Irmãos Editores, 1984 [1886]. 334 p.

BUESCU, Helena Carvalhão (Coord.). Dicionário do romantismo literário português. Lisboa: Editorial Caminho, 1997. 634 p.

CEREZALES, Diego Palacios. Embodying public opinion: From petitions to mass meetings in nineteenth-century Portugal. e-Journal of Portuguese History, v. 9, n. 1, p. 1-19, 2011.

COULDRY, Nick; LIVINGSTONE, Sonia; MARKHAM, Tim. Media consumption and public engagement: Beyond the presumption of attention. Nova Iorque: Palgrave-Macmillan, 2007. 264 p.

CRATO, Nuno. Comunicação social: A imprensa – iniciação ao jornalismo. Lisboa: Editorial Presença, 1992. 278 p.

ESPEJO, Carmen. European communication networks in the early modern age: A new framework of interpretation for the birth of journalism. Media History, v. 17, n. 2, p. 189-202, 2011.

FERREIRA, Alberto. Perspectiva do romantismo português (1833-1865). Lisboa: Litexa Editora, 2007 [1971]. 194 p.

FISKE, John. Introdução ao estudo da comunicação. Tradução de Maria Gabriela Rocha Alves. Porto: Edições Asa, 1995. 268 p.

FRANÇA, José Augusto. O romantismo em Portugal: Estudo de factos socioculturais. 3. ed. Braga: Livros Horizonte, 1999. 605 p.

GOLDSTEIN, Robert Justin. The persecution and jailing of caricaturists in nineteenth-century Europe (1815-1914). Media History, v. 9, n. 1, p. 19-45, 2003.

HAUSER, Arnold. História social da arte e da literatura. Tradução de Álvaro Cabral. São Paulo: Martins Fontes, 2000. 1032 p.

LIMA dos SANTOS, Maria de Lurdes. Folhetim literário. In: BUESCU, Helena Carvalhão (Coord.). Dicionário do romantismo literário português. Lisboa: Editorial Caminho, 1997. p. 190-193.

LOPES, Óscar. Modo de ler. Crítica e interpretação literária 2. 2. ed. Porto: Editorial Inova, 1972. 448 p.

LOPES, Óscar. Problemas do realismo sentidos em 1865-66. In: Modo de ler. crítica e interpretação literária 2. 2. ed. Porto: Editorial Inova, 1972. p. 230-237.

MINÉ, Elza. Páginas flutuantes: Eça de Queirós e o jornalismo do século XIX. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003. 248 p.

RAMOS, Rui (Coord.); SOUSA, Bernardo Vasconcelos; MONTEIRO, Nuno Gonçalo. História de Portugal. Lisboa: A Esfera dos Livros, 2009. 1030 p.

REIS, Carlos; PIRES, Maria Natividade. História crítica da literatura portuguesa: O romantismo. 2. ed. Lisboa: Editorial Verbo, 1999. Vol. V. 412 p.

RODRIGUES, Ernesto. Revistas literárias. In: BUESCU, Helena Carvalhão (Coord.). Dicionário do romantismo literário português. Lisboa: Editorial Caminho, 1997. p. 461-521.

SANTOS, Eugénio dos. Algumas reflexões sobre a imprensa em Portugal no século XIX. In: AA.VV (Eds.). Jornalismo e literatura. Actas do II Encontro Afro-Luso-Brasileiro. 1986, Porto. Lisboa: Vega, 1988. p. 28-32.

SARDICA, José Miguel. O Poder visível: D. Carlos, a imprensa e a opinião pública no final da monarquia constitucional. Análise Social, v. 203, n. 47, p. 344-368, 2012.

TENGARRINHA, José. História da imprensa periódica portuguesa. Lisboa: Portugália Editora, 1965. 349 p.

TRAQUINA, Nelson. As notícias. Jornalismo: questões, teorias e “estórias”. Lisboa: Editorial Vega, 1993. p. 167-176.

TRAQUINA, Nelson (Org.) Jornalismo: Questões, teorias e “estórias”. Lisboa: Editorial Vega, 1993. 360 p.

TRIGO, Salvato. Palavras prévias. In: AAVV (Eds.). Jornalismo e literatura. Actas do II encontro Afro-Luso-Brasileiro. 1986, Porto. Lisboa: Editorial Vega, 1988. p. 9-14.

Publicado
2014-04-30
Como Citar
Baleiro, R., & Ribeiro, F. P. (2014). A fundação de periódicos literários no terceiro quartel do século XIX: em defesa da literatura ou em prol da política e da educação?. Estudos Ibero-Americanos, 39(2), 323-343. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2013.2.14484
Seção
Artigos