Memória e esquecimento nas práticas punitivas

  • Salo de Carvalho
Palavras-chave: Práticas punitivas, Memória, Nietzsche

Resumo


O estudo avalia as práticas punitivas como mnemotécnicas, aproximando a perspectiva filosófica de Nietzsche e a teoria agnóstica da pena. A hipótese desenvolvida na investigação é de que a ritualização e institucionalização dos castigos, através dos primitivos procedimentos penais, atuam como mecanismos de manutenção da memória dos delitos, da “culpa moral” e do “sentimento de dever”.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2006-11-17
Como Citar
Carvalho, S. de. (2006). Memória e esquecimento nas práticas punitivas. Estudos Ibero-Americanos, 32(2). https://doi.org/10.15448/1980-864X.2006.s.1350