Alegorias sobre o moderno: os quadros “Solidariedade Humana” e “O progresso” de Eliseu Visconti (1866-1944)

  • Ana Heloisa Molina
Palavras-chave: Alegorias, Eliseu Visconti, Biblioteca Nacional

Resumo


Este texto propõe discutir duas alegorias elaboradas por Eliseu D’Angelo Visconti (1866-1944) em encomenda para a Biblioteca Nacional como mote a refletir a inserção de determinadas idéias acerca de modernidade e moderno inscritas em um suporte visual, fruto de um dado momento histórico e catalisador de experiências sociais, visuais, sensoriais, pessoais e culturais apreendidas por um pintor. Apresentará algumas reflexões acerca do uso do suporte visual como fonte, bem como, a fala do artista sobre sua trajetória e influências artísticas sofridas e a inserção das encomendas alegóricas para o espaço da Biblioteca Nacional no contexto urbano carioca em um instante de reafirmação de idéias republicanas acopladas às noções de civilização, cultura, progresso e ordem. Por fim, empreenderá uma possível leitura dos elementos dispostos nas duas telas denominadas “Solidariedade Humana” e posteriormente chamada de “Instrução” e “Progresso”, comparando-as com os esquisses realizados pelo pintor.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2005-12-31
Como Citar
Molina, A. H. (2005). Alegorias sobre o moderno: os quadros “Solidariedade Humana” e “O progresso” de Eliseu Visconti (1866-1944). Estudos Ibero-Americanos, 31(2). https://doi.org/10.15448/1980-864X.2005.2.1340
Seção
Artigos