Mulheres brasileiras pelos olhos de viajantes italianos

  • Rejane Penna Secretaria de Estado da Cultura do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Mulheres, Identidade, Estereótipos, Ciência

Resumo

Ao lermos as descrições dos viajantes europeus sobre o Brasil, durante o século XIX, percebemos que estereótipos anteriores são reafirmados pelos saberes científicos, partindo da hipótese da excelência da sua cultura e a confirmação de um modelo do que seria realmente o humano e a civilização. Para se ter uma ideia mais aproximada de como esse processo foi efetivado, partiremos de alguns trabalhos que estudaram a italianidade, nas suas diversas manifestações, recortando a descrição feita pelos viajantes italianos sobre um elemento específico, já abordado por diversas pesquisas – a mulher. O tempo é o século XIX; o espaço é o Brasil inteiro. Serão enfocados os relatos, entre outros, do médico italiano Alfonso Lommonaco, “Al Brasile”, publicada em Milão, no ano de 1889, do naturalista Ermano Stradelli e de Francesco Ammannati “Um viaggio ai confini del mondo, 1865-1868. Acreditamos que os relatos desses viajantes são também reveladores das atitudes que nos levam a perceber melhor a sociedade e o papel da mulher nela.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rejane Penna, Secretaria de Estado da Cultura do Rio Grande do Sul
Doutora e Mestre em História, Historiógrafa da Secretaria de Estado da Cultura, responsável técnica no Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul. Supervisora pelo AHRS do projeto “Memórias Reveladas”, coordenado pelo Arquivo Nacional. Membro da Comissão elaboradora do Mestrado Profissional em Memória Social e Bens Culturais e Mestrado Acadêmico em Educação do Centro Universitário La Salle.
Publicado
2012-12-31
Como Citar
Penna, R. (2012). Mulheres brasileiras pelos olhos de viajantes italianos. Estudos Ibero-Americanos. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2012.s.12477