O Rio Grande de São Pedro sob o olhar de um português: Domingos José Marques Fernandes (1804)

  • Véra Lucia Maciel Barroso Centro Histórico-Cultural Santa Casa
Palavras-chave: Cronista português, Capitania do Rio Grande de São Pedro, Descrição, Documento

Resumo

O cenário da Capitania do Rio Grande de São Pedro, no século XIX, descortina-se como um espaço motivador a registros de viajantes e cronistas estrangeiros, que se debruçaram sobre ele, com interessantes observações. É o caso do português Domingos José Marques Fernandes, nascido na freguesia de São Salvador do Couto de Pedralva – Braga, que, em 10 de setembro 1804, ofereceu “como amigo do Estado” a D. João, príncipe do Brasil e Regente de Portugal, Algarves e seus domínios, uma “Descrição Corográfica, Política, Civil e Militar” da Capitania. Sua intenção foi a de informar sobre sua situação, por ele constatada, e recomendar ao soberano, ações para promovê-la e ganho do Estado português. Trata-se de documento de, aproximadamente, 90 páginas, em quatro capítulos, abordando sua geografia física e humana, além de seus principais povoados. A, seguir, registra seu potencial econômico, para o que aponta as conveniências de animar seu povoamento. A análise do documento, ainda pouco conhecido, destaca sua relevância e significado para o conhecimento do extremo-sul, logo após a conquista portuguesa, do referido território, definitivamente conquistado aos espanhóis, em 1801, e definido pelo Tratado de Badajós, do mesmo ano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Véra Lucia Maciel Barroso, Centro Histórico-Cultural Santa Casa
Doutora em História (PUCRS), Membro Efetivo do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul, Professora da FAPA e Historiadora do Centro Histórico-Cultural Santa Casa de Porto Alegre.
Publicado
2012-12-31
Como Citar
Barroso, V. L. M. (2012). O Rio Grande de São Pedro sob o olhar de um português: Domingos José Marques Fernandes (1804). Estudos Ibero-Americanos. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2012.s.12468
Seção
Parte IV – Em Tempos de Colônia e de Reino Unido