PRODUÇÃO E MORTIFICAÇÃO DE SUBJETIVIDADE NO SISTEMA PRISIONAL FEMININO

  • Eduardo Georjão Fernandes EDIPUCRS
Palavras-chave: SISTEMA PRISIONAL FEMININO

Resumo

O tema deste trabalho está ligado à contextualização dos modos de produção e expressão de subjetividade no sistema carcerário. Ou seja, o foco da pesquisa centra-se em abordar a(s) forma(s) como o sujeito encarcerado (re)constroi seus marcadores identitários, em um ambiente (prisão) voltado à disciplina e à padronização de comportamentos. Especificamente, busca-se abordar a forma como tal processo ocorre no âmbito de uma prisão feminina.

O estudo tem como ponto de partida o questionamento da dupla função tradicionalmente atribuída ao sistema prisional. Isso porque o discurso social predominante reconhece que a prisão, ao mesmo tempo em que possui (a) a finalidade de punir a pessoa a quem se imputa a prática de um crime (prevenção especial negativa), tem (b) o fim de ressocializar (reeducar) o(a) criminoso(a) (prevenção especial positiva) (FERRAJOLI, 2002).

Biografia do Autor

Eduardo Georjão Fernandes, EDIPUCRS
Gilbertto Keller
Como Citar
Georjão Fernandes, E. (2013). PRODUÇÃO E MORTIFICAÇÃO DE SUBJETIVIDADE NO SISTEMA PRISIONAL FEMININO. Revista Da Graduação, 6(2). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/graduacao/article/view/15519
Seção
Faculdade de Psicologia