Jornalística, autorreferencial e espetacular: o <i>Profissão Repórter</i> em três perspectivas

  • Bruna Weis Scirea
Palavras-chave: Jornalismo. Televisão. Observação Participante. Autorreferencialidade. Espetáculo.

Resumo

Esta pesquisa, baseada na análise de quatro edições do Profissão Repórter, propõe-se a fazer um estudo sobre o programa a partir de três perspectivas: a jornalística, a autorreferencial e a espetacular. O principal objetivo é acompanhar a olhos críticos a passagem do repórter através dos campos definidos. Ao exaltar, dessa forma, a figura do jornalista, revela-se também o seu entorno. Assim, foram feitas indagações sobre a forma como os repórteres tornam-se protagonistas, a relevância que o modo de fazer assume nas edições, como o envolvimento e a objetividade são equilibrados no programa e, por fim, a posição que Caco Barcellos assume no Profissão Repórter. Para tanto, partiu-se de um olhar histórico-descritivo do repórter, da reportagem, de métodos como a observação participante e autorreferencialidade e de recursos como a espetacularização na televisão.

Biografia do Autor

Bruna Weis Scirea
Gilbertto Keller
Como Citar
Scirea, B. W. (2011). Jornalística, autorreferencial e espetacular: o <i>Profissão Repórter</i> em três perspectivas. Revista Da Graduação, 4(2). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/graduacao/article/view/10036
Seção
Faculdade de Comunicação Social