Análise bioética da percepção de um grupo de profissionais da classe médica acerca da declaração prévia de vontade do paciente terminal

  • Andréia Ribeiro da Rocha
Palavras-chave: Assistência paliativa. Autonomia pessoal. Direitos dos pacientes.

Resumo

Ante os avanços tecnológicos aplicados à medicina intensiva, foi possível proporcionar, dentro outros progressos, a notável melhoria na qualidade de vida dos pacientes, bem como permitiu ainda a possibilidade de interferência nos processos de início e terminalidade da vida. Neste sentido, deparamo-nos com a possibilidade de um prolongamento artificial da vida humana, o que nos remete a um processo de “medicalização da morte”. Desta forma, emana a necessidade de novas reflexões que tenham por objetivo fomentar o debate quanto à limitação médico-terapêutica, subsidiada pelo princípio do respeito à autonomia, e estabelecer novas diretrizes que busquem efetivar o cumprimento da vontade do paciente terminal. O princípio da ortotanásia ou “limitação médico-terapêutica” refere-se às estratégias médicas de não oferecer ou retirar recursos terapêuticos considerados desproporcionais, ou seja, a limitação do uso de recursos médicos que apenas prolongam o processo de morrer, quando o paciente não pode mais ser salvo ou curado. Em face destes pacientes, a valoração do consentimento tem sido defendida nas discussões atuais por meio de instrumentos jurídicos que registrem a expressão de sua vontade a prevalecer em situações futuras: como é o caso da declaração prévia de vontade do paciente terminal. Tal instrumento estatui quanto aos tratamentos que o paciente consente se submeter ou não quando o mesmo não for capaz de manifestar-se no momento da tomada de decisão, encontrando-se em estado incurável ou terminal. Seus principais objetivos seria o de garantir ao paciente ter seus desejos atendidos no momento de terminalidade da vida e o de proporcionar respaldo legal à classe médica para a tomada de decisões em situações conflitantes. Valendo-se de uma abordagem de caráter naturalístico baseado no método qualitativo de análise, o presente projeto tem por objetivo apreender a percepção de um grupo de profissionais da classe médica em relação à declaração prévia de vontade do paciente terminal, bem como sua importância e os impactos na relação médico-paciente, pois são os profissionais que, de fato, lidam diariamente com estes pacientes e, consequentemente, com as questões que envolvem o processo de morrer. Nesta perspectiva, espera-se que esta pesquisa possa proporcionar um subsídio à atual discussão, a fim de que sejam empreendidas novas ações que tenham em vista a proposta fundamental da própria declaração: a garantia de respeito à vontade do paciente terminal.

Biografia do Autor

Andréia Ribeiro da Rocha
Gilbertto Keller
Como Citar
Rocha, A. R. da. (2011). Análise bioética da percepção de um grupo de profissionais da classe médica acerca da declaração prévia de vontade do paciente terminal. Revista Da Graduação, 4(2). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/graduacao/article/view/10033
Seção
Faculdade de Biociências