O profissional da saúde e o processo de cura: do doente excluído ao sujeito empoderado

  • Laura Patrício de Arruda

Resumo

Este artigo contém elementos que possibilitam a discussão sobre como os profissionais da saúde podem reorganizar sua prática a partir de uma visão que considera o trânsito do doente excluído ao sujeito empoderado. Partindo do pressuposto de que a doença implica, inevitavelmente, uma crise para o doente, sobretudo acerca do seu papel social, um processo de cura não pode ser somente um retorno linear a um estado anterior, mas sim um restabelecimento de uma nova harmonia, que compreende as cicatrizes do estar, ou do ter estado doente. Salienta-se, um pensamento no qual a doença pode ser benéfica, uma vez que o paciente empreende forças para superar limitações. E, ao superá-las, deixa de lado a exclusão social que uma doença acarretaria, abrindo espaço para o empoderamento do sujeito.
Palavras-chave – Profissionais da saúde. Processo de cura. Exclusão social. Empoderamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2006-10-26
Como Citar
Arruda, L. P. de. (2006). O profissional da saúde e o processo de cura: do doente excluído ao sujeito empoderado. Textos & Contextos (Porto Alegre), 4(1), 1-16. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fass/article/view/995
Seção
Entre a Exclusão e a Inclusão Social