Lutar contra o câncer é lutar pela vida”: análise poliocular da solidariedade do voluntariado contra o câncer infantil piauiense

  • Lourdes Karoline Almeida Silva UFPI

Resumo

O argumento desenvolvido é de que o terceiro setor é uma construção político-econômica do Estado para a implantação do programa neoliberal de redução da ação social estatal, e o voluntariado uma construção (re)valorizada socioculturalmente, nos últimos dez anos, no Brasil. E, nesse processo, o voluntariado como identidade social, é uma das ferramentas de legitimação da nova postura do Estado brasileiro. Com a redução da ação social do Estado brasileiro, houve a sua desresponsabilização com o social e a conseqüente responsabilização da sociedade pela gerência de políticas sociais pontuais e focalistas. Assim, a cultura dos voluntariados promoveu a construção das identidades voluntárias, que legitimam o processo de publicização. Nesse processo, os direitos sociais e a solidariedade social foram transformados em deveres sociais para com os(as) excluídos(as) e solidariedade voluntária e local.

Palavras-chave – Estado. Terceiro Setor. Voluntariados. Identidades Sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2007-12-19
Como Citar
Silva, L. K. A. (2007). Lutar contra o câncer é lutar pela vida”: análise poliocular da solidariedade do voluntariado contra o câncer infantil piauiense. Textos & Contextos (Porto Alegre), 6(2), 375-394. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fass/article/view/2325
Seção
Estratégias do Estado e da sociedade civil na constituição da esfera pública