Research and Social Work: contributions to criticism / Pesquisa e Serviço Social: contribuições à crítica

  • José Fernando Siqueira da Silva UNESP
  • Maria Izabel da Silva Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia
Palavras-chave: Social Work. Research. Marx’s Social Theory.

Resumo

This paper aims at offering contributions to the debate on Social Work research, an imperative process to professionals who deal with the continued and expanded reproduction of social inequality in the mature bourgeois system (broadly characterized as the “social issue”). This is done by considering the several contradictions that currently exist for carrying out totality-oriented research, focused on the wealth of reality itself (in its objective logic). What are the paths to foster the production of genuinely ontological-material studies? What are the main hurdles to that? How the specificities of Social Work research can be located in this controversial context?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Fernando Siqueira da Silva, UNESP

Assistente Social. Livre-docente pelo Departamento de Serviço Social da UNESP-Franca. Professor Adjunto do Departamento de Serviço Social da UNESP-Franca e pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) na área de Serviço Social desde 2009. Possui pós-doutorado pela Universidade Nacional de La Plata (2015/Argentina). Coordenador brasileiro do Projeto CAPES-MES-CUBA (2011-2014 – processo número 098/2010). Líder do grupo de estudos Teoria Social de Marx e Serviço Social e orientador do Centro de Planejamento e Extensão Universitária em Serviço Social. (CPEUSS). Editor-Chefe da Revista Temporalis da Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social (gestão 2015-2016).

Referências

ANTUNES, R. Adeus ao Trabalho? Ensaios sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. São Paulo: Cortez, 2005.

BRAZ, M.M.R. Notas sobre o Projeto ético-político do Serviço Social. In: CRESS/MG. Contribuições para o exercício profissional de assistente social: coletânea de leis CRESS/MG. Belo Horizonte: CRESS, 2013.

BRAZ, Marcelo; RODRIGUES, Mavi. O ensino em Serviço Social na Era Neoliberal (1990-2010). Sociabilidade Burguesa e Serviço Social. Rio de Janeiro: Lumen Juris, p. 255-281, 2013.

CASTELO, Rodrigo. O novo desenvolvimentismo e a decadência ideológica do pensamento econômico brasileiro. Serv. Soc. Soc., São Paulo, n. 112, p. 613-636, dez. 2012. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-66282012000400002&lng=pt&nrm=iso Acesso em 01 jun. 2015.

CHAUI, M.A Universidade em ruínas. In: TRINDADE, Helgio (org.). Universidade em ruínas: na república dos professores. Petrópolis: Vozes, p. 211-222, 1999.

CHESNAIS, F. A mundialização do capital. São Paulo: Xamã, 1996.

ESCORSIM, L. O conservadorismo clássico. São Paulo: Cortez Editora, 2011.

FERNANDES, Florestan. A revolução burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

______. Capitalismo dependente e classes sociais na América Latina. São Paulo: Global Editora, 2009.

GONÇALVES, Reinaldo. Novo desenvolvimentismo e liberalismo enraizado. Serv. Soc. Soc., São Paulo, n. 112, p. 637-671, dez. 2012. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010166282012000400003&lng=pt&nrm=iso. Acesso em 01 jun. 2015.

HARVEY, D. O enigma do capital e as crises do capitalismo. São Paulo: Boitempo, 2011.

IAMAMOTO, M. V. Serviço Social em tempo de capital fetiche – capital financeiro, trabalho e questão social. São Paulo: Cortez Editora, 2007.

______. Renovação e conservadorismo no Serviço Social: ensaios críticos. São Paulo: Cortez: Celats, 1994.

IAMAMOTO, M. V.; CARVALHO, R. de. Relações sociais e Serviço Social no Brasil. Esboço de uma interpretação histórico-metodológica. São Paulo: Cortez, 1985.

KAMEYAMA, N. A trajetória da produção de conhecimento em Serviço Social: avanços e tendências. Caderno ABESS, n. 8. Diretrizes curriculares e pesquisa em Serviço Social. São Paulo. Cortez, p.33-76, 1998.

LARA, R. Pesquisa e Serviço Social: da concepção burguesa de ciências sociais à perspectiva ontológica. Revista Katálysis, Florianópolis, UFSC, v.10, p. 73-82, 1997.

LEHER, R. A universidade reformada: atualidade para pensar tendências da educação superior 25 anos após sua publicação. Revista Contemporânea de Educação, v. 8, p. 316-340, 2013.

______. Florestan Fernandes e a defesa da educação pública. Educação & Sociedade (Impresso), v. 33, p. 1157-1173, 2012.

______; SILVA, S. M. A universidade sob céu de chumbo: a heteronomia instituída pela ditadura empresarial-militar. Universidade e Sociedade (Brasília), v. XXII, p. 6-17, 2014.

LUKÁCS, G. Introdução a uma estética marxista. Trad. Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

______. Ontologia do ser social: os princípios ontológicos de Marx. São Paulo: Ciências Humanas, 1979.

______. Para uma ontologia do ser social I. São Paulo: Boitempo Editorial, 2012.

______. Para uma ontologia do ser social II. São Paulo: Boitempo Editorial, 2013.

______. Prolegômenos para uma ontologia do ser social. São Paulo: Boitempo Editorial, 2010.

MARX, K. Crítica da filosofia do direito de Hegel. São Paulo: Boitempo, 2005a.

______. Crítica da filosofia do direito de Hegel — Introdução. In: Crítica da filosofia do direito de Hegel. São Paulo: Boitempo, p. 145 56, 2005b.

______. O capital – Crítica da Economia Política. São Paulo: Abril Cultural, 1984, v.2.

______. O capital – Crítica da Economia Política. São Paulo: Abril Cultural, 1985, v.3, tomos 1 e 2.

______. O capital: crítica da economia política. Trad. Reginaldo Sant’Ana. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002. v.1, tomo 1.

______. O manifesto comunista/ K. Marx e Friedrich Engels: [tradução M. Lucia Como]. 15. ed. (2005). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1998. (Coleção Leitura).

______. O método da economia política. In: FERNANDES, Florestan (Org). Marx e Engels – História. São Paulo: Ática, 1989. (Textos originais de Marx e Engels)

______. Posfácio. In: MARX, Karl. O Capital. V.1. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, p.15-29, 1998.

MARX, Karl. Teses sobre Feuerbach. In MARX; ENGELS. Obras escolhidas. Lisboa: Edições Avante; Moscou: Editorial Progresso, 1982. Tomo III. Disponível em: https://www.marxists.org/portugues/marx/1845/tesfeuer.htm. Acesso em: 05/06/2015.

______. Para a questão judaica. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

MÉSZÁROS, I. Para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2002.

NETTO, José Paulo. A construção do Projeto Ético-Político do Serviço Social. 1999. Disponível em: http://www.cpihts.com/PDF03/jose%20paulo%20netto.pdf. Acesso em: 21/06/2015.

______. Capitalismo monopolista e Serviço Social. São Paulo: Cortez. 1992.

______. Ditadura e Serviço Social: Uma análise do Serviço Social no Brasil pós-64. 4. ed. São Paulo: Cortez, 1998.

______. O Serviço Social e a tradição marxista. Revista Serviço Social & Sociedade. São Paulo: Cortez Editora, n. 30, p. 89-102, 1989.

QUINTANEIRO, T. Um toque de clássicos. Belo Horizonte: UFMG, 1995.

SAMPAIO JR., Plínio de Arruda. Desenvolvimentismo e neodesenvolvimentismo: tragédia e farsa. Serv. Soc. Soc., São Paulo, n. 112, p. 672-688, dez. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-66282012000400004&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 01/06/2015.

SETUBAL, A.A. Desafios à pesquisa no Serviço Social: da formação acadêmica à prática profissional. Revista Katalysis, Florianópolis, UFSC, v.10, p. 64-72, 2007.

SILVA, J. F. S. Crise do capital, neoconservadorismo e Serviço Social: apontamentos para o debate. Revista Em Pauta. Rio de Janeiro: UERJ, n. 35, janeiro/junho 2015. Disponível em: http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistaempauta/article/view/18624/13594

______. Serviço Social: razão ontológica ou instrumental? Revista katálysis, n.1, v. 16, jan/jun, p. 72-81, 2013a.

______. Serviço Social: resistência e emancipação? São Paulo: Cortez, 2013b.

______; SILVA, M.I. Reprodução do capital, trabalho estranhado e violência. In: LOURENÇO, E. Â. DE S.; NAVARRO, V. L.; BERTANI, I. F.; SILVA, J. F. S. DA; SANT’ ANA, R. S. (Org.). O Avesso ao Trabalho: trabalho II, precarização e saúde do trabalhador. Expressão Popular, UNESP-Franca, 2010a.

SILVA, M.I. A apropriação das obras de Ricardo Antunes pelo Serviço Social: a categoria Trabalho em debate. Tese de Doutorado em Serviço Social (Programa de Pós-Graduação em Serviço Social – Doutorado), Faculdade de Ciências Humanas e Sociais – FCHS, Universidade Estadual Paulista – UNESP/Franca, 2014.

______; SILVA, J.F.S. O sucateamento do ensino superior público brasileiro no contexto da crise globalizada contemporânea. In: Lentes Pedagógicas. Faculdade Católica de Uberlândia, 2011.

______. O trabalho docente voluntário: a experiência da UFSC. Florianópolis: Editora da UFSC, 2010b.

______; NOGUEIRA, C.M. O trabalho docente voluntário no contexto da crise contemporânea. In: Riqueza e Miséria do Trabalho III. Ricardo Antunes (org.). São Paulo: Boitempo, 2014.

______. Pesquisa Social I. In: Apostila do Curso de Serviço Social. UNIVALE, Itajaí/SC, 2008.

Publicado
2015-12-29
Como Citar
da Silva, J. F. S., & da Silva, M. I. (2015). Research and Social Work: contributions to criticism / Pesquisa e Serviço Social: contribuições à crítica. Textos & Contextos (Porto Alegre), 14(2), 223 - 237. https://doi.org/10.15448/1677-9509.2015.2.22753
Seção
Serviço Social, pesquisa e questão social