A Metodologia da Construção do Caso na Cidade: um saber para além dos protocolos e seus efeitos no trabalho da assistência social / The Methodology of Clinical Case Construction in the City: a knowledge beyond the protocols and its effects at social...

  • Bruna Simões de Albuquerque Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais Doutoranda em Conhecimento e Inclusão Social em Educação
  • Flávia Martins Beduschi Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais - Discente do curso de graduação em Medicina
  • Lisley Braun Toniolo OBSERVAPED - Universidade Federal de Minas Gerais - Pesquisadora bolsista FAPEMIG
  • Cristiane de Freitas Cunha Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais - Professora
Palavras-chave: Construção do caso. Assistência social. Rede. Psicanálise. Adolescência. Família.

Resumo

O presente trabalho relata a experiência da construção do caso clínico no âmbito da política municipal de assistência social em Belo Horizonte. O projeto de extensão, fruto da parceria entre a Universidade Federal de Minas Gerais e a Secretaria Municipal Adjunta de Assistência Social da Prefeitura de Belo Horizonte, para formação de seus técnicos, tornou-se lugar propício ao exercício e aprimoramento da metodologia da construção do caso, tomada como prática interdisciplinar, orientada pela psicanálise e pelo marxismo, da qual participaram os profissionais dos serviços, professores e alunos da universidade. Como se pode ver, a metodologia parte dos impasses enfrentados e, ao privilegiar o saber dos profissionais e dos usuários na elaboração de saídas e propostas, produz efeitos de vivificação do trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Simões de Albuquerque, Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais Doutoranda em Conhecimento e Inclusão Social em Educação
Psicóloga (UFMG), Mestre em Psicopatologia e Estudos Psicanalíticos (Université de Strasbourg), Doutoranda em Conhecimento e Inclusão Social em Educação (UFMG), pesquisadora do NIPSE (Núcleo de Pesquisa em Psicanálise e Educação) da Faculdade de Educação (UFMG) e do grupo de pesquisa Subjetividade e Cultura da Faculdade de Medicina (UFMG). 
Flávia Martins Beduschi, Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais - Discente do curso de graduação em Medicina
Graduanda em medicina pela Faculdade de Medicina da UFMG. Aluna de iniciação científica com pesquisa vinculada ao Departamento de Pediatria.
Lisley Braun Toniolo, OBSERVAPED - Universidade Federal de Minas Gerais - Pesquisadora bolsista FAPEMIG

Graduada em Psicologia pela Universidade Federal do Espírito Santo, possui Especialização em Teoria Psicanalítica pela FAFICH/UFMG. Mestre em Promoção da Saúde e Prevenção da Violência na Faculdade de Medicina da UFMG. Membro do grupo de pesquisa Subjetividade e Cultura (Faculdade de Medicina, UFMG - 2009), do Laboratório do CIEN Janela da Escuta (IPSMMG), e do OBSERVAPED


Cristiane de Freitas Cunha, Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais - Professora

Graduada em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais, Mestre e Doutora em Saúde da Criança e do Adolescente pela Universidade Federal de Minas Gerais. Pós-doutorado pela Universidade de Barcelona. Professora Associada do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMG. Coordenadora do Curso de Especialização em Saúde do Adolescente da Faculdade de Medicina da UFMG. Vice-coordenadora do Mestrado Profissional em Promoção da Saúde e Prevenção da Violência da Faculdade de Medicina da UFMG. Coordenadora do Eixo Adolescência e Violência do Observatório da Saúde da Criança e do Adolescente do Departamento de Pediatria da FM-UFMG. Coordenadora do Grupo Subjetividade e Cultura do Mestrado Profissional. Coordenadora do Laboratório Janela da Escuta - CIEN.


Referências

ALEMÁN, Jorge. Una “izquierda lacaniana”. Jornal 12, 22 out. 2009. Disponível em: http://www.pagina12.com.ar/diario/psicologia/9-133879-2009-10-22.html. Acesso em: 10 nov. 2015.

BRASIL. Resolução nº 145, de 15 de outubro de 2004. Aprova a Política Nacional de Assistência Social. Brasília: CNAS, 2004. Disponível em: http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Normativas/PNAS2004.pdf. Acesso em: 16 nov. 2015.

CIFALI, Mireille. Ofício “impossível”? Uma piada inesgotável. Educ. rev. [online], v. 25, n. 1, p. 149-164, 2009. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-46982009000100008.

FIGUEIREDO, Ana Cristina. Uma contribuição da psicanálise à psicopatologia e à saúde mental. Rev. Latinoam. Psicopat. Fund., v. 7, n. 1, p. 75-86, mar./2004.

FREUD, Sigmund (1900). A interpretação dos sonhos I. In: ______. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, v. 4. Tradução J. Salomão. Rio de Janeiro: Imago, 1996.

______. (1925). Prefacio à juventude desorientada de Aichhorn. In: ______. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, v 19. Tradução J. Salomão. Rio de Janeiro: Imago, 1996.

______. (1937). Construções em análise. In: ______. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, v. 23. Rio de Janeiro: Imago,1996.

GUERRA, Andréa Máris Campos. Um pouco sobre nossa estratégia de trabalho: psicanálise, marxismo e a vida pelo dentro e pelo avesso. In: GUERRA, Andréa Máris Campos; CUNHA, Cristiane de Freitas; SILVA, Ricardo Silvestre (Orgs). Violência, território, família e adolescência: contribuições para a política de assistência social. Belo Horizonte: Scriptum, 2015, p. 17-42.

LACAN, Jacques. (1962-1963). O seminário, livro 11: os quatro conceitos fundamentais da psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

MARX, Karl. (1867). O capital. Livro 1. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

MENDES, Aline Aguiar. O efeito-equipe e a construção do caso clínico. 2014. 114f. Tese (Doutorado em Psicologia). Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas – Universidade Federal de Minas Gerais: Belo Horizonte, 2014.

MILLER, Jacques-Alain. Rumo ao PIPOL 4. In: Correio, Revista da Escola Brasileira de Psicanálise n. 60, p. 7-14, 2008.

______. Os seis paradigmas do gozo. Opção Lacaniana Online Nova Série, ano 3, n. 7, p. 1-49, mar. 2012. Disponível em: http://www.opcaolacaniana.com.br/nranterior/numero7/texto1.html. Acesso em: 15 nov. 2015.

NETTO, José Paulo. Cinco notas a propósito da “questão social”. In: ______. Capitalismo monopolista e serviço social. 5.ed. São Paulo: Cortez, 2006, p.151-162.

NICÁCIO, Camila Silva; ALBUQUERQUE, Bruna Simões. Responder direito? Coisa pra gente grande! In: GUERRA, Andréa Máris Campos; FERRARI, Ana Terra Rosa; OTONI, Marina Soares. Direito e psicanálise: controvérsias contemporâneas. 1 ed. Curitiba: CRV, 2014, p. 81-98.

PRATES, Jane Cruz. O planejamento da pesquisa. Temporalis, n. 7, Porto Alegre: ABEPSS, 2003.

______. O método marxiano de investigação e o enfoque misto na pesquisa social: uma relação necessária. Textos e Contextos (Porto Alegre), v. 11, n. 1, p. 116-128, jan./jul. 2012. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/fass/ojs/index.php/fass/article/view/11647/8056. Acesso em: 16 nov. 2015.

VIGANO, Carlo. A construção do caso clínico. Opção Lacaniana Online Nova Série, ano 1, n.1, mar. 2010. Disponível em: http://www.opcaolacaniana.com.br/nranterior/numero1/texto6.html. Acesso em: 16 nov. 2015.

VIGANO, Carlo. A construção do caso clínico. In: ALKMIM, Wellerson Duraes de. (Org.). Carlo Viganó: novas conferências. Belo Horizonte: Scriptum Livros, 2012, p. 115-127.

Publicado
2016-05-30
Como Citar
Albuquerque, B. S. de, Beduschi, F. M., Toniolo, L. B., & Cunha, C. de F. (2016). A Metodologia da Construção do Caso na Cidade: um saber para além dos protocolos e seus efeitos no trabalho da assistência social / The Methodology of Clinical Case Construction in the City: a knowledge beyond the protocols and its effects at social. Textos & Contextos (Porto Alegre), 15(1), 196-211. https://doi.org/10.15448/1677-9509.2016.1.22527
Seção
Formação e supervisão profissional