O Conto (de um imaginário que) não pára: apontamentos sobre a pesquisa do Grupo Imagem e Imaginários

  • Juliana Tonin PUCRS
  • Yara Marina Baungarten Bueno PUCRS
  • Gilka Padilha de Vargas PUCRS
  • Arlise Henrique Cardoso PUCRS
Palavras-chave: contos de fada, filmes, infância, imaginário

Resumo

O presente artigo propõe-se a traçar as atividades de trabalho acadêmico do Grupo de Pesquisa Imagem e Imaginários (GIM), iniciadas em 2012 e desenvolvidas no Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, com coordenação da professora doutora Juliana Tonin. A pesquisa, denominada “O conto (de um imaginário que) não pára” visa à análise das metamorfoses ocorridas nos contos de fadas ou lendas, através de suas manifestações em produções cinematográficas direcionadas ao público infantil. O estudo está focado nas possíveis mudanças nas tramas como aspectos determinantes do estilo e do imaginário contemporâneos. O que se pretende é identificar temas recorrentes que representem a mudança nos contos e interpretar essas novas propostas à luz da noção de estilo e imaginário dessa época.

Biografia do Autor

Juliana Tonin, PUCRS
Doutora em Comunicação Social. Professora do Programa de Pós-graduação da Famecos
Yara Marina Baungarten Bueno, PUCRS
Mestranda do Programa de Pós-graduação em Comunicação Social da Famecos
Gilka Padilha de Vargas, PUCRS
Mestranda do Programa de Pós-graduação em Comunicação Social
Arlise Henrique Cardoso, PUCRS
Bolsista de Iniciação Científica PIBIC/CNPq/PUCRS
Publicado
2014-04-09
Seção
Autor Convidado