O alinhamento relacional e o mapeamento de ataques complexos em português

  • Tatiana Keller
Palavras-chave: Encontros consonantais, Teoria da otimidade, Alinhamento relacional, Sonoridade, Português

Resumo

Este estudo apresenta uma análise do mapeamento de encontros consonantais em ataque silábico em português no âmbito da Teoria da Otimidade. Observamos nessa língua que sequências de consoantes em uma mesma sílaba são bem-formadas quando a distância de sonoridade entre as duas consonates é +3, por exemplo, nas sequências pr e bl das palavras prato e blusa. Nos encontros com distância de sonoridade inferior a +3, tais como, sp (sport) e pt (ptose), há a inserção de uma vogal antes da sibilante ou entre as duas consoantes, [i]sport e p[i]tose. Para dar conta dessa assimetria, propomos uma hierarquia de restrições que regula a distância de sonoridade entre segmentos em ataque complexo: *ONS DIST. Propomos, também uma restrição para controlar a distância entre segmentos em sílabas adjacentes: DIST -x. Argumentamos que a interação entre essas restrições e restrições de fidelidade, OUTPUT-CONTIGUITY (contra epêntese medial), DEP (contra epêntese) e MAX (contra apagamento), é responsável pelo mapeamento fiel das sequências consonantais e pela ocorrência de epêntese vocálica.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Keller, T. (2010). O alinhamento relacional e o mapeamento de ataques complexos em português. Letras De Hoje, 45(1). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fale/article/view/6859
Seção
Fonologia – Temas diversos sob o enfoque da teoria fonológica de nossos dias