Representação fonológica em uma abordagem conexionista: formalização dos contrastes encobertos

  • Giovana Ferreira-Gonçalves
Palavras-chave: representação fonológica, contrastes encobertos, Teoria da Otimidade Conexionista.

Resumo

A teoria fonológica tem sido de fundamental importância para o desenvolvimento da terapia fonoaudiológica. Contribuições trazidas pela Fonologia Natural, pelos modelos de traços distintivos e pelas abordagens métricas indicam caminhos na elaboração de instrumentos mais eficazes à terapia de fala. Todas as abordagens referidas apresentam, no entanto, como sustentação, o paradigma cognitivo simbólico. Considerando os avanços na neurociência nas últimas décadas, um outro paradigma cognitivo tem ocupado espaço central nas pesquisas: o paradigma conexionista. A mudança de enfoque trazida já se reflete em novas abordagens teóricas, como a Fonologia Acústico-Articulatória, a Fonologia de Uso e a Teoria da Otimidade Conexionista (COT). O presente trabalho, tendo por base os dados de uma criança que apresenta queixas fonoaudiológicas em relação à líquida não-lateral /r/, busca apontar as contribuições que a Teoria da Otimidade Conexionista pode trazer para descrição, análise e tratamento dos desvios fonológicos. Sob o enfoque da COT, as características atribuídas à fala com desvios podem ser visualizadas pelo próprio funcionamento do sistema gramatical, expresso no Otimizador, em algoritmos de aquisição gradual e em hierarquias de restrições que compõem a gramática.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Ferreira-Gonçalves, G. (2009). Representação fonológica em uma abordagem conexionista: formalização dos contrastes encobertos. Letras De Hoje, 43(3). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fale/article/view/5611
Seção
Artigos