Carnavalização

Contribuições para o estudo da estética do grotesco

Palavras-chave: Grotesco, Carnavalização, Dialogismo

Resumo

O presente artigo aponta para a atualidade da discussão de Bakhtin acerca da cultura popular para os estudos da estética do grotesco. Nesse sentido, propomos uma discussão acerca da compreensão de Bakhtin sobre o grotesco a partir de seu estudo da festa popular e do dialogismo carnavalesco, de modo a compreender as manifestações do realismo grotesco no campo da carnavalização, pontuando elementos essenciais, embora pouco discutidos ainda hoje em sua teoria, sobretudo a capacidade renovadora e o alargamento cosmovisionário operados pela estética grotesca nas manifestações artísticas. A seguir, buscamos contrapô-la aos estudos mais recentes acerca do grotesco, como os de Rémi Astruc, buscando demonstrar não só sua atualidade, como também suas potenciais contribuições para esse campo de pesquisa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Matheus Victor Silva, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Araraquara, SP, Brasil.

Mestre e doutorando em Teoria e Crítica da Poesia pelo PPG em Estudos Literários da FCLAr/Unesp, Araraquara, SP, Brasil. Financiamento CAPES-PROEX.

Referências

ASTRUC, Rémi. Le Renouveau du grotesque dans le roman du XXe siècle: essai d’anthropologie littéraire. Paris: Éditions Classiques Garnier, 2010.

ASTRUC, Rémi. Vertiges grotesques: esthétiques du “choc” comique. Paris: Honoré Champion, 2012.

BAKHTIN, Mikail. Problemas da poética de Dostoiévski. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1981.

BAKHTIN, Mikail. Cultura popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de François Rabelais. Tradução de Yara Frateschi Vieira. 7. ed. São Paulo: Hucitec, 2010.

ELIADE, Mircea. O Sagrado e o Profano: a essência das religiões. Tradução de Rogério Fernandes. São Paulo: Martins Fontes, 2020.

FONSECA, Rubem. Secreções, excreções e desatinos. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

FRANCO JÚNIOR, Hilário. A Eva barbada. São Paulo: Edusp, 1996.

FREUD, Sigmund. O Infamiliar. Tradução de Ernani Chaves, Pedro Heliodoro Tavares. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019.

HUGO, Victor. Do grotesco e do Sublime. Tradução de Célia Berretini. São Paulo: Perspectiva, 1988.

KAPPLER, Claude. Monstros, demônios e encantamentos no fim da Idade Média. Tradução de Ivone Castilho Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 1994.

KAYSER, Wolfgang J. O Grotesco. Tradução de Jacob Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 2003.

MACEDO, José Rivair Riso, Cultura e Sociedade na Idade Média. Porto Alegre/São Paulo: Editora Universidade: UFRGS: Editora Unesp, 2000.

RESENDE, Beatriz. Contemporâneos: expressões da literatura brasileira no século XXI. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2008.

SCHØLLHAMMER, Karl Erik. Cena do crime: violência e realismo no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: José Olympio, 2013.

SILVA, Matheus Victor. A imagem poética grotesca no imaginário medievalista de Gaspard de la Nuit. 2015. Dissertação (Mestrado em Estudos Literários) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2015.

SODRÉ, Muniz; PAIVA, Raquel. O Império do Grotesco. Rio de Janeiro: Mauad, 2002.

SODRÉ, Muniz. A comunicação do grotesco: introdução à cultura de massa brasileira. Petrópolis: Vozes, 1983.

SODRÉ, Muniz. O social irradiado: violência urbana, neogrotesco e mídia. São Paulo: Cortez, 1992.

Publicado
2021-12-31
Como Citar
Silva, M. V. (2021). Carnavalização: Contribuições para o estudo da estética do grotesco. Letras De Hoje, 56(3), 542-556. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2021.3.40715
Seção
Dossiê: Estudos Bakhtinianos Contemporâneos