Compreensão de texto argumentativo em crianças

Palavras-chave: Texto argumentativo. Compreensão de texto. Crianças.

Resumo

O presente estudo teve por objetivo investigar a habilidade de crianças em compreender textos argumentativos a partir do estabelecimento de inferências de diferentes tipos: causais, de estado e de previsão. Crianças (8 e 9 anos) foram individualmente solicitadas a ler um texto argumentativo segmentado em cinco partes. Imediatamente, após a leitura de cada parte, eram feitas perguntas inferenciais acerca do texto e perguntas de explicação em que a criança tinha que justificar as respostas dadas. Os dados foram analisados em função do número de respostas corretas e a partir de uma análise qualitativa acerca da natureza das dificuldades apresentadas. Observou-se que as crianças de ambos os grupos etários não tinham dificuldades com as inferências causais e que as crianças de 8 anos tinham dificuldades em relação às inferências de previsão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Denise Dias Almeida, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE

Mestre em Psicologia Cognitiva (UFPE). Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Cognitiva, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, PE, Brasil.

Alina Galvão Spinillo, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE

Doutor em Psicologia do Desenvolvimento pela University of Oxford, Inglaterra. Pós-doutor na University of Sussex, Inglaterra. Professora Titular do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Cognitiva da Universidade Federal de Pernambuco, Pesquisadora Nível 1 do CNPq, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, PE, Brasil.

Ilka Dayanne Medrado Lima, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE

Doutora em Psicologia Cognitiva pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia Cognitiva, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, PE, Brasil.

Referências

BARETTA, L.; TOMITCH, L. M. B.; MCNAIR, N.; LIM, V. K.; WALDIE, K. E. Inference making while reading narrative and expository texts: An ERP study. Psychology & Neuroscience, Rio de Janeiro, v. 2, p. 137-145, 2009. https://doi.org/10.3922/j.psns.2009.2.005

BAŞTUĞ, M. Comparison of reading comprehension with respect to text type, grade level and test type. International Online Journal of Educational Sciences, Turkey, v. 6, n. 2, p. 281-291, 2014. https://doi.org/10.15345/iojes.2014.02.003

CADIME, I.; SANTOS, S.; LEAL, T.; VIANA, F. L.; RODRIGUES, B.; COSME, M. DO C.; RIBEIRO, I. Compreensão de textos: diferenças em função da modalidade de apresentação da tarefa, tipo de texto e tipo de pergunta. Análise Psicológica, Lisboa, v. 3, n. XXXV, p. 351-366, 2017.

https://doi.org/10.14417/ap.1234

CAPELLINI, S. A.; PINTO, C. DE A. R.; CUNHA, V. L. O. Reading comprehension intervention program for teachers from 3rd grade’students. Procedia – Social and Behavioral Sciences, v. 174, p. 1339-1345, 2015. https://doi.org/10.1016/j.sbspro.2015.01.756

CAVALCANTE, T. C. F.; LEITÃO, S. A natureza argumentativa dos processos inferenciais preditivos na compreensão textual. Estudos de Psicologia, Natal, v. 17, n. 1, p. 35-42, 2012. https://doi.org/10.1590/S1413-294X2012000100005

ÇAKIR, O. The effect of textual differences on children's processing strategies. Reading improvement. ProQuest Educational Journals, [S. l.], v. 45, n. 2, p. 69-83, 2008.

DIAKIDOY, I. N.; MOUSKOUNTI, T.; IOANNIDES, C. Comprehension and Learning from Refutation and Expository Texts. Reading Research Quarterly, Newark, v. 46, n. 1, 2011, p. 22-38. https://doi.org/10.1598/RRQ.46.1.2

DIAKIDOY, I. N.; CHRISTODOULOU, S. A.; FLOROS, G.; IORDANOU, K.; KARGOPOULUS, P. Forming a belief: The contribution of comprehension to the evaluation and persuasive impact of argumentative text. British Journal of Educational Psychology, Leicester, v. 85, p. 300-315, 2015.

https://doi.org/10.1111/bjep.12074

KING, A. Beyond literal comprehension: a strategy to promote deep understanding of text. In: MCNAMARA, D. S. (org.). Reading comprehension strategies: Theories, interventions and technologies. Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaum, 2007. p. 267-290.

KINTSCH, W. Comprehension: A paradigm for cognition. Cambridge, MA: Cambridge University Press, 1998. LARSON, M.; BRITT, A.; LARSON, A. Disfluencies in comprehending argumentative texts. Reading Psychology, v. 25, p. 205-224, 2004. https://doi.org/10.1080/02702710490489908

LEITÃO, S. Composição textual: Especificidade da escrita argumentativa. In: CORREA, J.; SPINILLO, A. G.; LEITÃO, S. (orgs.). Desenvolvimento da linguagem: Escrita e textualidade. Rio de Janeiro: Nau Editora, 2001. p. 117-141.

LEITÃO, S. O trabalho com argumentação em ambientes de ensino-aprendizagem: Um desafio persistente. Uni-pluri (Medellin), v. 12, p. 23-37, 2012.

LEÓN, J. A. Una introducción a los procesos de inferencias en la comprensión del discurso escrito. In: J. A. León (org.). Conocimiento y discurso: Claves para inferir y compreender. Madrid: Pirámide, 2003. p. 23-44.

LEÓN, J. A.; SOLARI, M.; OLMOS, R.; ESCUDERO, I. La generación de inferencias dentro de un contexto social: Un análisis de la comprensión lectora a través de protocolos verbales y una tarea de resumen oral. Revista de Investigación Educativa, v. 29, n. 1, 2011, p.13-42.

MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MCNAMARA, D. S.; OZURU, Y.; FLOYD, R. G. Comprehension challenges in the fourth grade: The roles of text cohesion, text genre, and readers’ prior knowledge. International Electronic Journal of Elementary Education, v. 4, n. 1, p. 229-257, 2011.

OAKHILL, J.; CAIN, K.; ELBRO, C. Understanding and teaching reading comprehension: A handbook. London: Routledge, 2015. https://doi.org/10.4324/9781315756042

RAMÍREZ, N.; SOUZA, D.; LEITÃO, S. Desarrollo de habilidades argumentativas en contexto de enseñanzaaprendizaje de contenidos curriculares. Cogency: Journal of Reasoning and Argumentation, v. 5, n. 1, p. 107-134, 2013.

RIBEIRO, I.; VIANA, F. L. (orgs.). Bateria de Avaliação da Leitura (BAL): Abordagens teóricas e opções metodológicas. Lisboa: CEGOC-TEA, 2014.

SANTA-CLARA, A.; SPINILLO, A. G. Pontos de convergência entre o inferir e o argumentar. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 22, n. 1, p. 87-94, 2006. https://doi.org/10.1590/S0102-37722006000100011

SANTOS, S.; VIANA, F. L.; RIBEIRO, I.; PRIETO, G.; BRANDÃO, S.; CADIME, I. Development of listening comprehension tests with narrative and expository texts for Portuguese students. The Spanish Journal of Psychology, v. 18, n.e5, p. 1-7, 2015. https://doi.org/10.1017/sjp.2015.7

SANTOS, S.; CADIME, I.; VIANA, F. L.; PRIETO, G.; CHAVES-SOUSA, S.; SPINILLO, A. G.; RIBEIRO, I. An application of the Rasch model to reading comprehension measurement. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 29, n. 38, 2016. https://doi.org/10.1186/s41155-016-0044-6

SANTOS, S.; CADIME, I.; VIANA, F. L.; CHAVESSOUSA, S.; GAYO, E.; MAIA, J.; RIBEIRO, I. Assessing reading comprehension with narrative and expository texts: Dimensionality and relationship with fluency, vocabulary and memory. Scandinavian Journal of Psychology, v. 58, n. 1,

p. 1-8, 2017. https://doi.org/10.1111/sjop.12335

SARAIVA, R. A.; MOOJEN, S. M. P.; MUNARSKI, R. Avaliação da compreensão leitora de textos expositivos para fonoaudiólogos e psicopedagogos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2009.

SOLÉ, I. Estratégias de leitura. Porto Alegre: Penso, 1998.

SPINILLO, A. G. O leitor e o texto: Desenvolvendo a compreensão de textos na sala de aula. Revista Interamericana de Psicologia/Interamericana Journal of Psychology. San Juan, v. 42, n. 1, p. 29-40, 2008. https://doi.org/10.1590/0102-37722016011986045051

SPINILLO, A. G. Alfabetização e consciência metalinguística: Da leitura da palavra à leitura do texto. In: MALUF, M. R.; CARDOSO-MARTINS, C. (org.). A alfabetização no século XXI: Como se aprende a ler e a escrever (p.). Porto Alegre: Penso, 2013. p. 138-154. https://doi.org/10.1590/S0102-79722007000300014

SPINILLO, A. G. Compreensão de textos e metacognição: o papel da tomada de consciência no estabelecimento de inferências. In: 8º Encontro Nacional (6º Internacional) de Investigação em Leitura, Literatura Infantil e Ilustração. Universidade do Minho/ Gualtar/ Braga, 2010. p. 42-57.

SPINILLO, A. G.; ALMEIDA, D. D. Compreendendo textos narrativo e argumentativo: Há diferenças? Arquivos Brasileiros de Psicologia. Rio de Janeiro, v. 66, n. 3, 2014, p.115-132.

SPINILLO, A. G.; HODGES, L. V. DOS S. D.; ARRUDA, A. S. Reflexões teórico-metodológicas acerca da pesquisa em compreensão de textos com crianças. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 32, n. 1, p.45-51, 2016.

SPINILLO, A. G.; MAHON, É. R. Compreensão de texto em crianças: Comparações entre diferentes classes de inferência a partir de uma metodologia on-line. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 20, n. 3, 2007, p. 463-471.

SPINILLO, A. G.; MAHON, E. DA R. “O que você acha que vai acontecer agora?” Um estudo sobre as inferências de previsão na compreensão de textos. In: NASCHOLD, A. C.; PEREIRA JR, A.; GUARESI, R.; PEREIRA, V. W. (orgs.). Aprendizado da leitura e da escrita: a ciência em interface. Natal: Editora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2015. p. 163-192.

SPINILLO, A. G.; SILVA, A. P. M. O. Coesão e estrutura textual: uma relação investigada a partir da escrita de textos narrativos e argumentativos. In: LUNA, M. J. de M.;

SPINILLO, A. G.; RODRIGUES, S. G. (org.). Leitura e produção de texto. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2010. p. 101-136.

VIDAL-ABARCA, E.; RICO, G. M. Por que os textos são tão difíceis de compreender? As inferências são a resposta. In: TEBEROSKY, A. et al. (orgs.). Compreensão de leitura: A língua como procedimento. Porto Alegre: Artmed, 2003. p. 139-153.

WOLFE, M. B. W. Narrative and expository text: Independent influences of semantic associations and text organization. Journal of Experimental Psychology: Learning, Memory, and Cognition, v. 31, n. 2, p. 359-364, 2005. https://doi.org/10.1037/0278-7393.31.2.359

Publicado
2019-11-06
Como Citar
Almeida, D. D., Spinillo, A. G., & Lima, I. D. M. (2019). Compreensão de texto argumentativo em crianças. Letras De Hoje, 54(2), 202-210. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2019.2.32158
Seção
Processamento da decodificação e da compreensão da leitura: consciência linguística e memória