Performances da escrita na narrativa contemporânea: a voz do outro em “Totonha”, de Marcelino Freire

  • Rejane Pivetta de Oliveira Centro Universitário Ritter dos Reis
Palavras-chave: Leitura, Escrita, Dominação, Alteridade, Marcelino Freire

Resumo

O artigo propõe a reflexão sobre o papel da escrita na representação do outro excluído do universo letrado, tomando por base o conto “Totonha”, de Marcelino Freire, integrante da coletânea Contos negreiros (2005). O tema é abordado à luz de problematizações acerca da escrita do outro evidenciadas pela etnografia (GEERTZ, 1989; Clifford, 1998), e na perspectiva política das divisões sociais geradas pelo exercício da escrita (RANCIÈRE, 2004, 2005). Ao final, pretende-se elucidar a hipótese de que a escrita de Marcelino Freire encena o paradoxo de dizer o outro no seio de uma escrita performática (RAVETTI, 2003), que se apresenta como resistência ao sistema dominante de significação do outro.

********************************************************************

Performances of writing in contemporary narrative:
The other´s voice in "Totonha", by Marcelino de Freire

Abstract: The article proposes a reflection on the role of writing in the representation of the other excluded from the literary universe, based on the short story “Totonha”, by Marcelino Freire, which integrates the collection Contos negreiros (2005). The question is analyzed in the light of problematizations about writing of the other evidenced by ethnography (Geertz, 1989; Clifford, 1998), and from the perspective of a political criticism of social divisions generated
by exercise of writing (Rancière, 2004, 2005). At the end, we intend to elucidate the hypothesis that writing Marcelino Freire enacts the paradox to say the other within a performative writing (Ravetti, 2003), which presents itself as resistance to the dominant system of signification of the other.

Keywords: Reading; writing; Domination; Otherness; Marcelino Freire

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rejane Pivetta de Oliveira, Centro Universitário Ritter dos Reis
Doutora em Teoria da Literatura (PUCRS), professora e coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Letras Uniritter.

Referências

ALVES, Castro. Navio negreiro. Disponível em: . Acesso em: 10 out. 2014.

BARTHES, Roland. O grau zero da escrita. Trad. Maria Margarida Barahona. Lisboa: Edições 70, [s.d.].

BARTHES, Roland. Aula. Trad. Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Cultrix, 2007.

BHABHA, Homi. O local da cultura. Trad. Myriam Ávila, Eliana Lourenço de Lima Reis, Gláucia Renate Gonçalves. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1996.

CERTEAU, Michel. Cultura no plural. Trad. Enid Abreu Dobránszky. Campinas, SP: Papirus, 2012.

CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano. Trad. Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis: Vozes, 1994.

CLIFFORD, James. A experiência etnográfica: antropologia e literatura no século XX. Trad. Patrícia Farias. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1998.

DERRIDA, Jacques. Gramatologia. Trad. Miriam Chnaiderman; Renato Janine Ribeiro. São Paulo: Perspectiva, 2008.

FREIRE, Marcelino. Amar é crime. São Paulo: Edith, 2011.

FREIRE, Marcelino. Angu de sangue. São Paulo: Ateliê, 2000.

FREIRE, Marcelino. Balada do esquecimento, 2013. Disponível

em: <http://marcelinofreire.wordpress.com/2013/09/16/baladado-

esquecimento/>. Acesso em: 12 jan. 2014.

FREIRE, Marcelino. BaléRalé. São Paulo: Ateliê, 2003.

FREIRE, Marcelino. Contos negreiros. Rio de Janeiro: Record,

FREIRE, Marcelino. Nossos ossos. Rio de Janeiro: Record, 2013.

FREIRE, Marcelino. Rasif, mar que arrebenta. Rio de Janeiro: Record, 2008.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. São Paulo: LTC, 1989.

GÓMEZ-PEÑA, Guillermo. En defensa del arte del performance. Revista Horizonte Antropológico, Porto Alegre, v. 11, n. 24, p. 199-226, jul./dez. 2005. Disponível em: <http://www.scielo. br/scielo.php?pid=S0104-71832005000200010&script=sci_ arttext>.

LÉVINAS, Emmanuel. Entre nós: ensaios sobre a alteridade. Trad. Pergentino Pivato et al. (coord.). Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

PLATÃO. Fedro. Trad. Pinharanda Gomes. Lisboa: Guimarães Editores, 1989.

RANCIÈRE, Jacques. O mestre ignorante: cinco lições sobre a emancipação intelectual. Trad. Lilian do Valle. São Paulo: Autêntica, 2004.

RANCIÈRE, Jacques. Políticas da escrita. Trad. Raquel Ramalhete et al. São Paulo: Editora 34, 1995.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível. Trad. Mônica Costa Netto. São Paulo: Editora 34, 2009.

RAVETTI, Graciela. Performances escritas: o diáfano e o opaco da experiência. In: HILDEBRANDO, Antônio; NASCIMENTO, Lylei; ROJO, Sara (Org.). O corpo em performance. Belo Horizonte: NELAP/FALE/UFMG, 2003.

SAID. Edward W. Orientalismo: o Oriente como invenção do Ocidente. Trad. Tomás Rosa Bueno. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

TODOROV. Nós e os outros: a reflexão francesa sobre a diversidade humana. Trad. Sérgio Goes de Paula. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1993. Vol. 1.

ZUMTHOR, Paul. Performance, recepção, leitura. 2. ed. São Paulo: Cosac Naify, 2002.

Publicado
2016-12-31
Como Citar
Oliveira, R. P. de. (2016). Performances da escrita na narrativa contemporânea: a voz do outro em “Totonha”, de Marcelino Freire. Letras De Hoje, 51(4), 475-481. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2016.4.23787