Divertimento: Cortázar y su juguete autobiográfico

  • Cynthia Valente Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: Julio Cortázar, Autobiografia, Surrealismo

Resumo

 Divertimento: Cortázar e seu brinquedo autobiográfico

Divertimento, a primeira novela de Cortázar, escrita em 1949, foi publicada apenas postumamente. Nessa novela, ainda pouco explorada pela crítica, um grupo de amigos artistas se diverte com suas opiniões estéticas sobre a arte. A narrativa experimental, em ritmo de mistério, revela, em pequenas doses humorísticas, a visão de arte de um escritor ainda em formação. Dentro desse divertido jogo ficcional, onde se discute o surrealismo y suas diferentes manifestações artísticas, interessa-nos investigar os aspectos autobiográficos y receptivos que fluem das opiniões convergentes e divergentes de seus personagens. Para este propósito, foi fundamental retomar o epistolário de Cortázar, já que em suas cartas o escritor também brinca de mesclar ficção com autobiografia.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Valente, C. (2013). Divertimento: Cortázar y su juguete autobiográfico. Letras De Hoje, 48(4), 521-528. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fale/article/view/15446
Seção
Autobiografia e fronteiras de leitura