Percepção de familiares referente ao banho humanizado: técnica japonesa em recém-nascidos

  • Jadna Hemkemeier Universidade do Sul de Santa Catarina
  • Valéria Cardoso Fermino Universidade do Sul de Santa Catarina
  • Ivete Maria Ribeiro Universidade do Sul de Santa Catarina
Palavras-chave: humanização da assistência, recém-nascido, enfermagem

Resumo

Objetivo: Conhecer a percepção de familiares acerca da experiência da utilização do banho humanizado, uma técnica Japonesa em recém-nascidos (RN). Materiais e Métodos: Trata-se de uma pesquisa do tipo exploratória, de abordagem qualitativa, conduzida pela seguinte questão norteadora: qual a percepção de familiares acerca da experiência de utilização do banho humanizado – Técnica Japonesa em recém-nascidos? Os dados dessa pesquisa foram coletados no período de maio a junho de 2011. A metodologia envolveu uma entrevista, com apenas uma pergunta, aplicada às participantes no dia em que estas realizaram o procedimento no hospital, juntamente com um roteiro de observação participante, além de outra entrevista, contendo três perguntas realizadas na visita domiciliar, dez dias após a alta hospitalar. Resultados: Os resultados revelam que os familiares estão satisfeitos com a nova técnica de banho. Os RNs permaneceram calmos e quietos, demonstrando os benefícios do banho humanizado. Conclusão: É imprescindível que os familiares e os profissionais da saúde aceitem novas formas de procedimentos mais humanizados para RNs. Esta nova técnica de banho possibilita que os RNs mantenham-se mais calmos, não havendo choro durante a sua execução. Entretanto, observou-se que, para a eficácia da nova técnica de banho, o RN deve ser bem enrolado no cueiro, a fim de que se sinta mais protegido.

Biografia do Autor

Jadna Hemkemeier, Universidade do Sul de Santa Catarina
Acadêmica do Curso de Enfermagem - Universidade do Sul de Santa Catarina UNISUL.
Valéria Cardoso Fermino, Universidade do Sul de Santa Catarina
Acadêmica do Curso de Enfermagem - Universidade do Sul de Santa Catarina UNISUL.
Ivete Maria Ribeiro, Universidade do Sul de Santa Catarina
Enfermeira. Mestre em Assistência de Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professora da Universidade do Sul de Santa Catarina.
Publicado
2012-05-24
Seção
Artigos Originais