O Direito como condição humana: uma compreensão extensiva de Arendt

  • Guilherme Camargo Massaú UFPel
Palavras-chave: Condição humana, Hannah Arendt, Direitos humanos, Filosofia do Direito, Utilitarismo negativo.

Resumo

Ao convocar as ideias do primeiro capítulo do livro A Condição Humana, o texto visa compreender o Direito como alternativa promotora da condição humana, sem que ela seja manipulada pela economia e pela política. Significa estabelecer uma noção de ser humano e um imperativo de conduta. O sentido do utilitarismo de forma negativa fornece os parâmetros de atuação de cada pessoa diante dos demais coexistentes, sempre levando em consideração as diretrizes impressas nos Direitos Humanos.

Biografia do Autor

Guilherme Camargo Massaú, UFPel
Professor; Especialista em ciências penais PUCRS; Mestre em Ciências Jurídico-Filosóficas Universidade de Coimbra; Doutorando em Direito pela Universidade de Coimbra; Doutorando em Direito pela Unisinos (Bolsista/Capes Prosup II).
Publicado
2013-03-01
Seção
Artigos