O paradoxo dos Direitos Humanos: cibercultura, Wikileaks e o controle sistêmico-hegemônico

  • Jorge Alberto de Macedo Acosta Junior Universidade La Salle
Palavras-chave: Direitos humanos, escandalização, cibercultura, contra-hegemonia, Wikileaks

Resumo

Há um paradoxo dos direitos humanos na sociedade mundial, suas expectativas só podem ser reconhecidas por meio de suas violações. A sociedade comunica tais violações, entretanto, mesmo com o acesso a novas tecnologias comunicacionais, há estruturas historicamente formadas que paralisam as tentativas de desdobramento deste paradoxo. A presente pesquisa pretende entender esta paralisia paradoxal dos direitos humanos. Assim, deve-se (a) estabelecer a relação entre as novas tecnologias comunicacionais, especificamente a internet, com a dimensão contra-hegemônica dos direitos humanos; (b) entender o aumento da contingência social por intermédio da práxis dos direitos humanos (escandalização) influenciada pela cibercultura; (c) investigar como os sistemas sociais absorveram a escandalização das violações de direitos humanos no caso dos vazamentos de 2010 pelo Wikileaks.  A pesquisa procederá com revisão bibliográfica juntamente com a apuração de notícias e conteúdos coletados na internet.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jorge Alberto de Macedo Acosta Junior, Universidade La Salle
Direito; sociologia do direito.
Publicado
2018-06-21
Como Citar
Acosta Junior, J. A. de M. (2018). O paradoxo dos Direitos Humanos: cibercultura, Wikileaks e o controle sistêmico-hegemônico. Conversas & Controvérsias, 4(2), 42-61. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/conversasecontroversias/article/view/28859
Seção
Dossiê - Reconhecimento, autonomia e liberdade social: abordagens em Teoria Social