[1]
C. Fonseca, “As novas tecnologias legais na produção da vida familiar: Antropologia, direito e subjetividades”, Civitas, vol. 11, nº 1, p. 8-23, jul. 2011.