“Les origines” La tension entre appartenance familiale et identité individuelle

  • Elsa Ramos l’Université Paris Descartes

Resumo

O individualismo que caracteriza a sociedade francesa contemporânea produz certas tensões e uma delas surge na construção dos pertencimentos familiares e da história pessoal. Esta tensão é objeto de reflexão neste artigo, a partir de uma pesquisa que na perspectiva de uma sociologia compreensiva aborda a questão da mobilidade residencial de habitantes do interior da França que se deslocaram para Paris e arredores. A noção de raízes e de “terra de origem” é o foco da discussão cujo objetivo é perceber como, no contexto da migração, os indivíduos conservam – ou não – vínculos com os locais nos quais viveram e o que eles revelam sobre suas definições de família e de si próprio. O individuo tende a buscar um equilíbrio entre apego e desapego, o que não significa que procura uma familia sem consistência ou que está em busca de uma ruptura dos laços familiares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elsa Ramos, l’Université Paris Descartes
M
Publicado
2011-07-13
Como Citar
Ramos, E. (2011). “Les origines” La tension entre appartenance familiale et identité individuelle. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 11(1), 24-39. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2011.1.9191