As crianças ausentes na rua e nas praças: etnografia dos espaços vazios

  • Ileana Wenetz UFSC
Palavras-chave: Crianças. Espaços vazios. Etnografia. Praças.

Resumo

Neste artigo, busco analisar como os discursos sobre infâncias e brincadeiras são mobilizados na escola e no seu entorno, em ruas e praças do bairro, e de que maneira e com quais efeitos eles atravessam, constituem, modificam, circulam e governam (ou não) os corpos das crianças. O referencial teórico-metodológico que orienta as análises ancora-se nos estudos culturais e o material empírico desta investigação foi constituído através de um trabalho de campo de caráter etnográfico. Procuro apresentar como a cidade não está preparada para as crianças, e como as praças não são o espaço de brincadeiras. Isto foi possível ao observar uma ausência das crianças nesses espaços. Os familiares destacam uma sensação de insegurança e medos para a criança não ficar sozinha brincando na rua.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ileana Wenetz, UFSC
Doutora em Ciências do Movimento Humano pela Ufrgs (Porto Alegre, Brasil), pós-doutoranda na Universidade Federal de Santa Catarina em Florianópolis, SC, Brasil; participante do Núcleo de Estudos e Pesquisas Educação e Sociedade Contemporânea.
Publicado
2014-01-31
Como Citar
Wenetz, I. (2014). As crianças ausentes na rua e nas praças: etnografia dos espaços vazios. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 13(2), 346-363. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2013.2.15477