Gadamer e a experiência hermenêutica da arquitetura

Palavras-chave: Gadamer. Arte. Ontologia. Arquitetura. Representação. Compreensão

Resumo

Na abordagem hermenêutica das obras de arte, Gadamer discute a arquitetura como uma das expressões artísticas na qual se pode reconsiderar a relação ontológico-interpretativa com as coisas em geral. Repensando a estrutura representativa própria da experiência hermenêutica das obras de arte, Gadamer introduz a arquitetura como uma expressão artística peculiar, na qual as obras de arte resistem aos posicionamentos estéticos atuais, reinserindo-as na esfera prática da vida. Essa tematização encontra ecos importantes na teoria e prática arquitetônicas, à medida que possibilita uma nova relação com as obras de arquitetura, para além das variáveis estéticas. O presente artigo, portanto, tem como objetivo discutir a experiência hermenêutica da arquitetura como um momento interpretativo decisivo da relação com as obras de arte, explicitando tanto o caráter ontológico-hermenêutico do pensamento de Gadamer quanto o traço hermenêutico das obras de arquitetura. Para isso, partimos de um diálogo estabelecido por Gadamer e dois arquitetos, Jacques Herzog e Pierre de Meuron sobre a essência da arquitetura. A resposta gadameriana indicou-nos o horizonte de tematização das obras arquitetônicas como extensão da experiência da obra de arte, tal como foi discutido em Verdade e Método, notadamente na discussão sobre a representação artística e a retomada das noções de ocasional e decorativo. A tematização hermenêutica encontra, por conseguinte, repercussões na teoria e prática arquitetônicas, indicando um horizonte alternativo de questionamento do sentido da arquitetura e urbanismo, situando-o e remetendo-o para o horizonte da vida em comum.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Silvano Batista, Universidade Federal do Piauí - UFPI

Doutor em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio)/Universidade de Copenhague, no Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Professor da Universidade Federal do Piauí (UFPI), em Teresina, PI.

Referências

AKIN, Ömer; WEINEL, Eleanor F. (ed.). Representation and Architecture. Maryland: Information Dynamics, 1982.

BARNARD, Malcolm. Gadamer, Hans-Georg (1900-2002). In: BHAGAT, D.; KETTLEY, S.; O’BRIEN, S.; RAIZMAN, D.; WILLIS, A-M (ed.) Bloomsbury Encyclopedia of Design. Londres: Bloomsbury Academic, 2016. p. 63-64. https://doi.org/10.5040/9781472596161-BED-G002.

BOEHM, Gottfried. Representation, presentation, presence: tracing the homo Pictor. In: ALEXANDER, Jeffrey C.; BARTMANSKI, Dominik; GIESEN, Bernhard (ed.) Iconic Power: materiality and meaning in social life. Basingstoke: Palgrave Macmillan, 2007. p. 15-23. https://doi.org/10.1057/9781137012869_2.

BRANDÃO, Carlos Antônio Leite. Hermenêutica e Verdade na Obra de Arquitetura. Kriterion. Belo Horizonte, n. 101, p. 7-19, jun. 2000.

BRANDÃO, Carlos Antônio Leite. Introdução à hermenêutica da arte e da arquitetura. Topós: Revista de Arquitetura e Urbanismo. Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p.113-123, 1999.

BRUDERLIN, Markus (ed.). Ornament and Abstraction: the dialogue between non-western, modern and contemporary art. Basel: Foundation Beyeler, 2001.

CARDOSO, Rafael. Design para um mundo complexo. São Paulo: Editora UBU, 2016.

FARRELY, Lorraine. The Fundamentals of Architecture. Lousanne: Ava Book, 2007.

FEHER, István M. Kunst, Hermeneutic, Philosophie: das Denken Hans-Georg Gadamers in Zusammenhang des 20 Jahrhunderts. Heidelberg, Universitätsverlag, 2003.

FIGAL, Günter (org.). Hans-Georg Gadamer: Wahrheit und Methode. Berlin: Akademie Verlag, 2007. https://doi.org/10.1524/9783050050195.

GADAMER, H-G. Truth and Method. Transl. Joel Weisheimer. New York: Continuum, 2004.

GRONDIN, J. Hans-Georg Gadamer: a biography. New Haven: Yale University Press, 2003. https://doi.org/10.1007/978-3-476-98618-4_49.

GRONDIN, Jean. Gadamer’s Aesthetics: the overcoming of aesthetic consciousness and the hermeneutical truth of art. In: KELLY, M. (org.). Encyclopedia of Aesthetics. Oxford: Oxford University Press, 1998. v. 2, p. 276-271.

HERZOG, Jacques. Thinking of Gadamer’s floor. In: DAVIDSON, Cynthia C. (ed.). Anything. New York: Anyone Corporation; Cambridge, MA: The MIT Press, 2001. p. 114-119.

KIDDER, Paul. Gadamer for Architects. New York: Routledge, 2013. https://doi.org/10.4324/9780203073223.

MITROVIC, Branko. Philosophy for Architects. New York: Princeton Architectural Press, 2011.

UDOVICKI-SELB, Danilo. Between Formalism and Deconstruction: Hans-Georg Gadamer’s hermeneutics and the aesthetics of reception. In: POLLAK, Martha (ed.). The Education of the Architect: historiography, urbanism, and growth of architectural knowledge. Cambridge: The MIT Press, 1997. p. 239-266.

VESELY, Dalibor. Architecture and the conflict of representation. Annals of the Architecture Association School of Architecture – AA FILES, London, n. 8, p. 21-38, 1985.

VESELY, Dalibor. Architecture in the age of divided representation: the question of creativity in the shadow of production. Cambridge, MA: The MIT Press, 2004.

WEINSHEIMER, Joel. Gadamer’s Hermeneutics: A Reading of Truth and Method. New Haven: Yale University Press, 1985.

WISCHKE, Mirko. Hans-Georg Gadamer. In: SEPP, Hans Rainer; EMBREE, Lester. (org.). Handbook of Phenomenological Aesthetics. Dordrecht: Springer, 2010, v.59, p. 123-125.

Publicado
2020-07-25
Como Citar
Batista, G. S. (2020). Gadamer e a experiência hermenêutica da arquitetura. Veritas (Porto Alegre), 65(2), e37243. https://doi.org/10.15448/1984-6746.2020.2.37243
Seção
Artigos