Contra os limites da linguagem, a ética da imagem

Palavras-chave: Deligny, imagem, linguagem, autismo

Resumo

Como nos autistas com quem trabalhou por muitos anos, para Fernand Deligny a imagem se contrapõe à linguagem pois recusa aquilo que esta carrega: sentido, mensagem, finalidade, palavras de ordem. Na sua teorização sobre o estatuto da imagem, Deligny dá a essa recusa uma dimensão ética e política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Peter Pál Pelbart, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Professor na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) em São Paulo, SP.

Referências

DELIGNY, Fernand. Oeuvres. Paris: Ed. Arachnéen, 2007.

GARCIA DOS SANTOS, Laymert. Amazonia transcultural, xamanismo e tecnociência na ópera. São Paulo: n-1 edições, 2013.

GARCIA DOS SANTOS, Laymert. Às voltas com Lautréamont. São Paulo: n-1 edições, 2019.

SENRA, Stella, “Conversações em Watoriki: Das passagens de imagem às imagens de passagens: captando o audiovisual do xamanismo”. Cadernos de Subjetividade: revista do Núcleo de Estudos da Subjetividade da PUC-SP, São Paulo, n. 13, p. 55-77, 2011.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. A floresta de cristal e outros ensaios de antropologia. São Paulo: n-1 edições, 2020. (no prelo).

Publicado
2020-07-25
Como Citar
Pelbart, P. P. (2020). Contra os limites da linguagem, a ética da imagem. Veritas (Porto Alegre), 65(2), e37090. https://doi.org/10.15448/1984-6746.2020.2.37090
Seção
Artigos