Um estudo comparativo entre facções: O cenário de Porto Alegre e o de São Paulo

  • Rodrigo Ghiringhelli de Azevedo UFRGS, Universitat Pompeu Fabra
  • Marcelli Cipriani Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: facções, prisão, crime, violência.

Resumo

Este artigo visa a analisar as chamadas facções prisionais, a partir da comparação entre o contexto da cidade de Porto Alegre, que abarca uma multiplicidade desses grupos, e o do estado de São Paulo – que, em termos de domínio, tem como cerne o Primeiro Comando da Capital. Para tanto, se utiliza material coletado a partir de entrevistas com tópicos guia realizadas com apenados alocados no Presídio Central de Porto Alegre, assim como de questionários semiestruturados aplicados a Policiais Militares que atuam nessa instituição prisional e a operadores do sistema de justiça que lidam com a execução penal. Por fim, são apontadas algumas similitudes e diferenças presentes na realidade carcerária pesquisada e no contexto paulista, a partir de pesquisas realizadas no sistema penitenciário do estado de São Paulo.

Referências

ADORNO, Sérgio; SALLA, Fernando. Criminalidade organizada nas prisões e os ataques do PCC. Estudos Avançados, São Paulo, v. 21, n. 61, p. 07-29, dez. 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142007000300002&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 17 set. 2015.

AZEVEDO, Rodrigo Ghiringuelli de; BASSO, Maura. Segurança Pública e direitos fundamentais. Direito & Justiça, Porto Alegre, v. 34, n. 2, p. 21-32, jul./dez. 2008. Disponível em: <http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fadir/article/view/5166/3790>. Acesso em: 14 set. 2015.

BIONDI, Karina. Junto e Misturado: imanência e transcendência no PCC. Dissertação de Mestrado, Departamento de Antropologia. UFSCAR. 2009.

CHIES, Luiz Antônio Bogo. A questão penitenciária. Tempo Social, São Paulo, v. 25, n. 1, p. 15-36, jun. 2013. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/ts/article/view/69031/71480>. Acesso em: 14 set. 2015.

DAVIS, Mike. Planeta favela. São Paulo: Boitempo, 2006.

DIAS, Camila Nunes. Da pulverização ao monopólio da violência: expansão e consolidação do Primeiro Comando da Capital (PCC) no sistema carcerário paulista. Tese de Doutorado, Departamento de Sociologia. USP. 2011.

DORNELLES, Renato. Falange Gaúcha. Porto Alegre: Zero Hora Editora, 2008.

FELTRAN, Gabriel de Santis. Crime e castigo na cidade: os repertórios da justiça e a questão do homicídio nas periferias de São Paulo. Cad. CRH, Salvador, v. 23, n. 58, p. 59-73, abr. 2010. Disponível em:

<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-49792010000100005&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 18 set. 2015.

______. O legítimo em disputa: As fronteiras do “mundo do crime” nas periferias de São Paulo. Dilemas: Revista de Estudos de Conflito e Controle Social, Rio de Janeiro, v. 1, p. 93-148, jul./set. 2008. Disponível em: <http://revistadil.dominiotemporario.com/doc/Dilemas1Art4.pdf>. Acesso em: 17 set. 2015.

GARLAND, David. A cultura do controle: crime e ordem na sociedade contemporânea. Rio de Janeiro: Revan, 2014.

______. As contradições da "Sociedade Punitiva": o caso britânico. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, n.13, p. 59-80, nov. 1999. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-44781999000200006&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 20 set. 2015.

______. Punishment and modern society: a study in social theory. Clarendon Press, 1990.

HASSEMER, Winfried. Segurança pública no estado de direito. Revista Brasileira de Ciências Criminais, São Paulo, vol. 2, n. 5, 1994.

MISSE, Michel. Malandros, marginais e vagabundos: acumulação social da violência no Rio de Janeiro. 1999. xi, 416f. Tese (Doutorado em Sociologia) - Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro.

MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina, 2011.

SALLA, Fernando; DIAS, Camila Nunes; SILVESTRE, Giane. Políticas Penitenciárias e as facções criminosas: uma análise do regime disciplinar diferenciado (RDD) e outras medidas administrativas de controle da População carcerária. Estud. sociol., Araraquara, v.17, n.33, p. 333-351, 2012. Disponível em: <http://seer.fclar.unesp.br/estudos/article/view/5419/4328>. Acesso em: 14 set. 2014.

SALLA, Fernando; GAUTO, Maitê; ALVAREZ, Marcos César. A contribuição de David Garland: a sociologia da punição. Tempo social, vol.18, n.1, p. 329-50, 2006. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/ts/article/view/12505/14282>. Acesso em: 21 set. 2014.

SCHILLING, Flávia. Corrupção, crime organizado e democracia. Revista Brasileira de Ciências Criminais, São Paulo, v. 36, p. 401-409, 2001. Disponível em: <https://bvc.cgu.gov.br/bitstream/123456789/2603/1/corrupcao_crime_organizado_democracia.pdf>. Acesso em: 12 dez. 2014.

SOUZA, Marcelo Lopes de. Militarização da questão urbana. Lutas Sociais, São Paulo, v. 29, p. 117-129, jul./dez. 2012. Disponível em: <http://www.pucsp.br/neils/downloads/neils-revista-29-port/marcelo-lopez-de-souza.pdf>. Acesso em: 16 set. 2015.

¬______. Fobópole: o medo generalizado e a militarização da questão urbana. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008.

TELLES, Vera da Silva; HIRATA, Daniel Veloso. Cidades e práticas urbanas: nas fronteiras incertas entre o ilegal, o informal e o ilícito. Estudos Avançados, v. 21, n. 61, p. 173-91, 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142007000300012&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 20 set. 2015.

WACQUANT, Loïc. As prisões da miséria. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

ZAFFARONI, Eugenio Raúl. Crime Organizado: uma categorização frustrada. Discursos Sediciosos: Crime Direito e Sociedade, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 45-67, jan./jun. 1996.

Publicado
2015-11-25
Seção
Dossiê Crime, Polícia e Justiça no Brasil