Marco normativo e políticas públicas de enfrentamento à violência contra a mulher: Os desafios na efetivação dos direitos

  • Ana Claudia Cifali PUCRS
  • Tamires de Oliveira Garcia PUCRS
Palavras-chave: gênero, violência doméstica, segurança pública.

Resumo

Esse trabalho visa estabelecer um diálogo entre os dados registrados em termos de violência doméstica no cenário nacional e os programas de segurança desenvolvidos para dar conta dos conflitos de violência contra a mulher em âmbito doméstico e familiar. Assim, fazendo um recorte sobre a criação de políticas públicas que deram atenção ao tema, evidenciando-se a influência dos movimentos feministas nesse marco, busca-se refletir sobre as recentes respostas estatais ao problema da violência contra a mulher, apontando as estratégias e os desafios encontrados no sistema de justiça criminal tradicional.

Biografia do Autor

Ana Claudia Cifali, PUCRS
Doutoranda em Ciências Criminais PUCRS.

Referências

ANDRADE, Vera Regina P. de. A soberania patriarcal: o sistema de justiça criminal no tratamento da violência sexual contra a mulher. In: Sequência, Florianópolis (UFSC), v. 50, p. 71-102, 2005. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/sequencia/article/

view/15185>. Acesso em: 01 nov. 2014.

AZEVEDO, Rodrigo Ghiringhelli de. Sociologia e Justiça Penal. Teoria e prática da pesquisa sociocriminológica. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010.

BAUTISTA, Francisco Jiménez; MUÑOZ, Francisco. Violencia estructural. In: Mart ínez, Mario López (Org.). Enciclopedia de paz y conflictos. Granada, Editorial Universidad de Granada, 2004, t. II.

BEIRAS, Iñaki Rivera. Derechos fundamentales, movimientos sociales y “cultura de resistencia”. Para um programa de reducción carcelaria en España. In: BÖHM, María Laura; GUTIERREZ, Mariano (Coord.). Políticas de seguridad: peligros y desafios para la criminologia del nuevo siglo. Buenos Aires: Editores del Puerto, 2007.

BRASIL. Centro Feminista de Estudos e Assessoria – CFEME. Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres. Os direitos das mulheres na legislação brasileira pós-constituinte. Legislação (federal, estadual e municipal) sobre direitos das mulheres a partir da Constituição de 1988. Brasília: LetrasLivres, 2006, p. 11. Disponível em: <http://www.spm.gov.br/publicacoes/publicacoes/legislacaopos-

constituinte.pdf>. Acesso em: 30 out. 2014.

______. Secretaria de Políticas para Mulheres da Presidência da República. Ligue 180. Balanço Semestral janeiro-junho 2014. Disponível em: <http://www.spm.gov.br/publicacoes-teste/publicacoes/2014/balanco-ligue-180-janeiro-a-junho-2014>. Acesso em: 19 out. 2014.

______. Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República. Políticas pelos direitos das mulheres – 10 anos. Balanço Semestral janeiro-junho de 2013. p. 21. Disponível em: <http://www.spm.gov.br/subsecretaria-de-enfrentamento-a-violencia-contraas-mulheres/balanco_ligue-180-jan-a-jun-2013.pdf>. Acesso em: 19 out. 2014.

______. Secretaria de Políticas para as Mulheres. Casa da Mulher Brasileira. Espaço integrado e humanizado de atendimento às mulheres em situação de violência. Abril 2015. Disponível em: <http://www.spm.gov.br/assuntos/violencia/cmb/livreto-casa-damulher-

brasilia.pdf>. Acesso em: 07 jul. 2015.

_____. Compromisso e atitude Lei Maria da Penha. Notícias. Casa da Mulher Brasileira pode concretizar reivindicações históricas do movimento feminista. Mar. 2013. Disponível em: <http://www.compromissoeatitude.org.br/casa-da-mulher-brasileira-pode-concretizarreivindicacoes-historicas-do-movimento-feminista/>. Acesso em: 06 jul. 2015.

EQUIPE DILMA ROUSSEFF. Sala de Imprensa. Governo Dilma atua no combate à violência contra as mulheres. Out. 2014. Disponível em: <http://www.saladeimprensadilma.com.br/2014/10/10/governo-dilma-atua-no-combate-a-violencia-contra-as-mulheres/>. Acesso em: 20 out. 2014.

GALTUNG, Johan. Violencia. In: SILLS, David (Org.). Enciclopedia Internacional de Ciencias Sociales. Madrid: Aguilar, 1975.

GIACOMOLLI, Nereu. O devido processo penal. Abordagem conforme a Constituição Federal e o Pacto de San José da Costa Rica. Cases da Corte Interamericana, do Tribunal Europeu e do STF. São Paulo: Atlas, 2014.

MACHADO, Lia Zanotta. Feminismo em movimento. São Paulo: Francis, 2010.

MORAES, Aparecida Fonsesa; SORJ, Bila. Os paradoxos da expansão dos direitos das mulheres no Brasil. In: MORAES, Aparecida Fonsesa; SORJ, Bila (Orgs.). Gênero, violência e direitos na sociedade brasileira. Rio de Janeiro: 7Letras, 2009.

MORENO, Ciriaco Izquierdo. Sociedad violenta: un reto para todos. Madrid: San Pablo, 1999.

MUÑOZ, Francisco; JIMENEZ, Francisco. Violencia cultural. In: MARTÍNEZ, Mario López (Org.). Enciclopedia de paz y conflictos.

Granada: Universidad de Granada, 2004. t. II.

ORGANIZACIÓN DE LOS ESTADOS AMERICANOS. Comisión Internacional de Derechos Humanos. Relatoría sobre losDerechos

de laMujer. Acceso a la justicia para mujeres víctimas de violencia en las américas. OEA/Ser.L/V/II. Doc. 68. 20 enero 2007. Disponível

em: <http://www.cidh.org/women/Acceso07/indiceacceso.htm>. Acesso em: 30 out. 2014.

SABADELL, Ana Lucia. Manual de Sociologia Jurídica: introdução a uma leitura externa do direito. 6. ed. São Paulo: Editora Revista

dos Tribunais, 2013.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Pelas mãos de Alice. O social e o político na pós-modernidade. São Paulo: Cortez, 2001.

SOZZO, Máximo. Los retos de la izquierda en las políticas públicas de seguridad ciudadana. Venezuela: Universidad Nacional

Experimental de la Seguridad (UNES), 2012.

VASCONCELLOS, Fernanda Bestetti de. Punir, proteger, prevenir? A Lei Maria da Penha e as limitações da administração dos conflitos conjugais violentos através da utilização do Direito Penal. 2015. 224 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

VIEIRA, Miriam Steffen. Categorias jurídicas e violência sexual: uma negociação com múltiplos atores. Porto Alegre: UFRGS, 2011.

WAISELFISZ, Julio Jacobo. Mapa da Violência 2012. Atualização: Homicídio de Mulheres no Brasil. Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais – FLACSO, ago. 2012, p. 26. Disponível em: <http://www.mapadaviolencia.org.br/pdf2012/MapaViolencia2012_

atual_mulheres.pdf>. Acesso em: 12 jul. 2014.

Publicado
2015-11-22
Seção
Dossiê Crime, Polícia e Justiça no Brasil