Lugares perpassados: música e loucura como paradigmas da escrita no imaginário material de Marguerite Duras

Palavras-chave: Imaginação material. Escrita feminina. Música e escrita. Loucura e escrita.

Resumo

No momento de sua trajetória em que se dedica prioritariamente ao cinema, Marguerite Duras propõe, em um livro elaborado a partir de entrevistas com Michelle Porte, Les Lieux de Marguerite Duras (1977), uma série de figuras que, à maneira do que Gaston Bachelard (2001b) chamou de “imaginação material”, formam o que poderíamos identificar como uma mitologia pessoal da autora. Esse conjunto de signos-imagens reaparece com relativa estabilidade ao longo de sua obra, o que permite a Duras referir-se a obras de sua autoria bastante distantes temporalmente, mas com elementos em comum aos quais ela busca dar uma formulação. Nesse contexto, a invenção mítica da escrita feminina relaciona-se com noções como a música e a loucura, que se mostram como paradigmas imaginários de uma poética da porosidade. Uma leitura cerrada desse livro de Duras e Porte permitirá revelar a trama conceitual que atravessa essas formula-ções e iluminar aspectos centrais da poética literária, teatral e fílmica de Duras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maurício Ayer, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, SP.

Doutor em Estudos Linguísticos, Literários e Tradutológicos em Francês pela Universidade de São Paulo (USP) em São Paulo, SP, Brasil, com especialização na Universidade de Paris 8. Professor de Literatura Francesa na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH/USP) em São Paulo, SP, Brasil.

Referências

AYER, Maurício. Música meu amor: orquestrações de literatura, teatro e cinema em Marguerite Duras. São Paulo: Outras Palavras, 2020.

AYER, Maurício. Marguerite Duras: o cinema como ato político. In: AYER, Maurício; KUNTZ; Maria Cristina Vianna (org.). Olhares sobre Marguerite Duras. São Paulo: Publisher Brasil, [livro digital], 2014, p. 7-15.

BACHELARD, Gaston. A terra e os devaneios da vontade: Ensaio sobre a imaginação das forças. Tradução de Maria Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2001a.

BACHELARD, Gaston. O ar e os sonhos: Ensaio sobre a imaginação do movimento. Trad. Antonio de Pádua

Danesi. São Paulo: Martins Fontes, 2001b.

BACHELARD, Gaston. A psicanálise do fogo. Tradução de Paulo Neves. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

BACHELARD, Gaston. A água e os sonhos: Ensaio sobre a imaginação da matéria. Tradução de Antonio de Pádua

Danesi. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

BLANCHOT, Maurice. O livro por vir. Tradução de Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Kafka – pour une littérature mineure. Paris: Minuit, (1975) 2004. (Critique).

DOUMET, Christian. La Musique, mon amour… In: BURGELIN, Cl. ; DE GAULMYN P. (org.). Lire Duras: écriture, théâtre, cinéma. Lyon: PUL, 2001. p.79-90.

DURAS, Marguerite. Détruire, dit-elle – Film écrit et réalisé par Marguerite Duras. DVD. Paris: Benoît Jacob, 2008

DURAS, Marguerite. Césarée, Les Mains négatives, Aurélia Steiner (Melbourne) (Vancouver) – Quatre films écrits et réalisés par Marguerite Duras. DVD. Paris: Benoît Jacob, 2007a.

DURAS, Marguerite. Nathalie Granger – Film écrit et réalisé par Marguerite Duras. DVD. Paris: Blaq out Collection, 2007b.

DURAS, Marguerite. O amante. Tradução de Denise Bottmann. São Paulo: Cosac Naify, 2007c.

DURAS, Marguerite. India Song – Film écrit et réalisé par Marguerite Duras. DVD. Paris: Benoît Jacob, 2005.

DURAS, Marguerite. Barragem contra o Pacífico. Tradução de Eloísa Araújo. São Paulo: Arx, 2003.

DURAS, Marguerite. Dix heures et demie du soir en été. Paris: Gallimard, 1993.

DURAS, Marguerite. O deslumbramento. Tradução de Ana Maria Falcão. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.

DURAS, Marguerite. La Musica deuxième. Paris: Gallimard, 1985.

DURAS, Marguerite. Savannah Bay. Paris: Minuit, 1983.

DURAS, Marguerite. Le Vice-consul. Paris: Gallimard, Collection l’Imaginaire, 1980.

DURAS, Marguerite. Le Camion suivi de Entretien avec Michelle Porte. Paris: Minuit, 1977.

DURAS, Marguerite. Nathalie Granger suivie de La Femme du Gange. Paris: Gallimard, 1973.

DURAS, Marguerite. O verão de 80. Tradução de Sieni Maria Campos. Rio de Janeiro: Record, [198-?].

DURAS, Marguerite; PORTE, Michelle. Les Lieux de Marguerite Duras. Paris: Minuit, 1977.

FOUCAULT, Michel. A propos de Marguerite Duras (com H. Cixous). Dits et écrits I. Paris, Gallimard, 2001a. p.1630-49.

FOUCAULT, Michel. Première préface à l’Histoire de la Folie. Dits et écrits I. Paris: Gallimard, 2001b. p.187-194.

MASCOLO, Dionys. Naissance de la Tragédie. In: VÁRIOS AUTORES. Marguerite Duras. Paris: Albatros, 1975.

MOREIRA DE MELLO, Celina Maria. Escrever a dor da música. In: AYER, Maurício; KUNTZ; Maria Cristina Vianna (org.). Olhares sobre Marguerite Duras. São Paulo: Publisher Brasil, [livro digital], 2014, p. 64-71.

SPINOZA. Ética. Trad. Tomaz Tadeu. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2008.

VIRCONDELET, Alain. Marguerite Duras ou le temps de détruire. Paris: Seghers, 1972.

Publicado
2020-07-15
Seção
Temathis