As ações de Penélope

A releitura do mito na obra “A vida submarina” de Ana Martins Marques

Palavras-chave: Espera, Tecer, Escrita, Angústia

Resumo

A mítica personagem Penélope de Homero faz do imaginário de diversos autores contemporâneos como é o caso da poetisa Ana Martins Marques. A autora faz uma releitura do clássico mito em seis poemas que compõem a obra “A vida Submarina” (2009). Marques transforma a seleção de poemas em uma saga que discute questões como a condição humana em sociedade assim como, propõe uma discussão acerca da escrita e do fazer poesia. Diante desse contexto, consideramos que a autora transforma a espera de Penélope em um força ativa que transforma a personagem em protagonista da sua própria história.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Junia Paula Saraiva Silva, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Mestre em Literaturas de Língua Portuguesa pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas), em Belo Horizonte, MG, Brasil; como bolsista Capes; doutoranda em Literatura pela PUC Minas, como bolsista CNPQ; e graduada em Psicologia pela mesma instituição.

Referências

BRANDÃO, Junito. Dicionário mítico-etimológico. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1991. v. 2.

DUMITH, Denise de Carvalho. O mito de Penélope e sua retomada na literatura Brasileira: Clarice Lispector e Nélida Piñon. 2012. Tese (Doutorado em Estudos de Literatura) – Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 2012.

DURAND, Gilbert. Les structures anthropologiques de l’imaginaire. 10. ed. Paris: Dunod, 1984.

FABRE-SERRIS, Jacqueline. Mythologie et littérature à Rome: la réecriture des mythes aux Iers. siècles avant et après J.-C. lausanne: Payot, 1998.

FREUD, Sigmund. O mal estar na civilização.Tradução Paulo César de Souza. São Paulo: Penguin Classics Companhia das Letras, 2011.

HOMERO. Ilíada. Rio de Janeiro: Ediouro, 1996.

LISPECTOR, Clarisse. Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres. Organização Yolanda Lobo. 1. ed. São Paulo: Rocco, 1998.

MARCIA Tiburi no Entre o Céu e a Terra. [S. I.]: Tv Brasil, 16 dez. 2014. (1 h 01 min 29 s), son., color. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?annotation_id=annotation_104990117&feature=iv&src_vid=bNzJufpeeto&v=xgnj6wv3tfE. Acesso em: 1 mar. 2018.

MARQUES, Ana Martins. A vida Submarina. Belo Horizonte: Scrptum, 2009.

MARQUES, Ana Martins. Uma coisa pequena, fugaz. In: Rascunho. 2012. Disponível em: http://rascunho.com.br/uma-coisa-pequena-fugaz. Acesso em: 2 jan. 2018.

MEIRELLES, Cecilia. Uma pequena aldeia. In: Poesia completa (1918-1964). Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

MONNEYRON, Frédéric; THOMAS, Joël. Mythes et littérature. Paris: [s. n.], 2002.

NICANOR, Luis. Penélope. In: Poemas no ônibus. 13. ed. Porto Alegre: 2006.

SARTRE, Jean-Paul. O Ser e o Nada. Petrópolis: Vozes, 1997.

SILVA, Ricardo Nonato Almeida de Abreu. Novas Penélopes: a rasura de um mito na literatura de autoria feminina. In: SEMINÁRIO NACIONAL MULHER E LITERATURA, 14., 2011, Brasília. Anais [...]. Brasília, 2011.

Publicado
2020-12-31
Seção
Libera (Seção livre)