Estilos de aprendizagem e desempenho acadêmico de universitários de administração

Palavras-chave: estilo de aprendizagem, desempenho acadêmico, tecnologia da informação, universitários, administração de empresas

Resumo

Este estudo teve o objetivo de investigar a relação entre os estilos de aprendizagem em situações de uso das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) e o desempenho acadêmico de estudantes universitários de administração. A amostra foi composta por 286 estudantes de administração, com idades entre 18 e 43 anos (M = 21,97; DP = 3,10), sendo 53,15% do gênero feminino. Os dados sobre estilos foram coletados por meio da Escala de Estilos de Aprendizagem em Situações de Uso de Tecnologias; os dados sobre desempenho acadêmico, por sua vez, foram obtidos com base em avaliações realizadas em uma disciplina de graduação em administração, utilizando a metodologia ativa de aprendizagem baseada em problemas (PBL). Os resultados indicaram que o desempenho acadêmico dos estudantes de administração não dependeu de seus estilos de aprendizagem, possivelmente em função da diversidade de atividades realizadas no âmbito da metodologia ativa adotada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Hipólito Roza, Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), Campinas, SP. Brasil.

Pós-Doutorado em Psicologia pela Universidade São Francisco, em Campinas, SP, Brasil. Professor do Centro de Economia e Administração da Pontifícia Universidade Católica de Campinas.

Acácia Aparecida Angeli dos Santos, Universidade São Francisco (USF), Campinas, SP, Brasil.

Pós-Doutorado em Psicologia pela Universidade São Francisco. Professor do Centro  de Economia e Administração da Pontifícia Universidade Católica de Campinas.

Referências

Battalio, J. (2009). Success in distance education: Do learning styles and multiple formats matter? American Journal of Distance Education, 23(2), 71-87. doi: 10.1080/08923640902854405

Brunton, B. (2015). Learning styles and student performance in introductory economics. Journal of Education for Business, 90(2), 89-95. doi: 10.1080/08832323.2014.980716

Cachinho, H. (2012). Criando experiências de aprendizagem significativas: do potencial da Aprendizagem Baseada em Problemas. El Hombre y la Máquina, 40, 58-67. Recuperado de https://www.redalyc.org/html/478/47826850007/

Cakiroglu, U. (2014). Analyzing the effect of learning styles and study habits of distance learners on learning performance: A case of an introductory programming course. International Review of Research in Open and Distance Learning, 15(4), 161-185. doi: 10.19173/irrodl.v15i4.1840

Cordeiro, R. A., & Silva, A. B. (2012). Os estilos de aprendizagem influenciam o desempenho acadêmico dos estudantes de finanças?. Revista de Administração da UFSM, 5(2), 243-261. doi: 10.5902/198346594541

Dancey, C. P. & Reidy, J. (2013). Estatística sem matemática para psicologia: usando o SPSS para Windows. Porto Alegre: Artmed.

Dias, G. P. P., Sauaia, A. C. A., & Yoshizaki, H. T. Y. (2013). Estilos de aprendizagem Felder-Silverman e o aprendizado com jogos de empresa. Revista de Administração de Empresas, 53(5), 469-484. Recuperado de http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rae/article/view/30001/28852

Dunn, R. S., & Dunn, K. J. (1978). Teaching students through their individual learning styles: a practical approach. Reston: Prentice Hall.

Dunn, R., Beaudry, J. S., & Klavas, A. (2002). Survey of research on learning styles. California Journal of Science Education, 2(2), 75-98. Recuperado de http://marric.us/files/CSTA_learnjournal.pdf#page=76

Escrivão Filho, E., & de Ribeiro, L. R. C. (2008). Inovando no ensino de administração: uma experiência com a Aprendizagem Baseada em Problemas (PBL). Cadernos EBAPE.BR, 1-9. Recuperado de http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/cadernosebape/article/view/5431/4165

Felder, R. M., & Silverman, L. K. (1988). Learning and teaching styles in engineering education. Engineering Education, 78(7), 674-681. Recuperado de http://winbev.pbworks.com/f/LS-1988.pdf

Inal, S., Buyukyavuz, O., & Tekin, M. (2015). A study on preferred learning styles of Turkish EFL teacher trainees. Australian Journal of Teacher Education, 40(3), 52-67. doi: 10.14221/ajte.2014v40n3.4

Kolb, A. Y., & Kolb, D. A. (2005). The Kolb learning style inventory – version 3.1 2005 technical specifications. Boston: Hay Resource Direct.

Kolb, D. A. (1984). Experiential learning: Experience as the source of learning and development. New Jersey: Prentice-Hall.

Li, C. L. K., & Tsai, K. C. (2016). Personality, Learning Styles, Learning Motivation, and Academic Performance: A Study of Macau Business Undergraduates in a Microeconomics Course. European Journal of Business and Management, 8(21), 130-139. Recuperado de https://iiste.org/Journals/index.php/EJBM/article/view/31680/32552

Nogueira, D. R., Espejo, M. M. D. S. B., Reis, L. G., & Voese, S. B. (2012). Estilos de aprendizagem e desempenho em educação a distância: um estudo empírico com alunos das disciplinas de contabilidade geral e gerencial. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC), 6(1), 54-72. doi: 10.17524/repec.v6i1.181

Oliveira, K. L., Santos, A. A. A., & Scacchetti, F. A. P. (2017). Evidências de validade para uma medida de estilos de aprendizagem. Revista Psicologia-Teoria e Prática, 19(3), 159-175. doi: 10.5935/1980-6906/psicologia.v19n3p159-175

Roza, R. H. (2017). Estilos de aprendizagem e o uso das tecnologias da informação e comunicação. Tese de Doutorado, Pontifícia Universidade Católica de Campinas.

Roza, R. H., & Wechsler, S. M. (2017). O uso das tecnologias da informação e comunicação por estudantes de Administração. Competência – Revista da Educação Superior do Senac-RS, 10(2), 1-7. doi: 10.15689/ap.2018.1702.14184.08

Roza, R. H., Nakano, T. C., Silva, T. F., & Wechsler, S. M. (2018). Tecnologia no Contexto Educacional: Teste Informatizado para Avaliação de Estilos de Aprendizagem. Psicologia da Educação, (46), 11-20. doi: 10.5935/2175-3520.20180002

Roza, R. H., Nakano, T. C., Wechsler, S. M., & Primi, R. (2018). Escala de Estilos de Aprendizagem em Situações de Uso de Tecnologias: estrutura interna. Avaliação Psicológica, 17(2), 223-232. doi: 10.15689/ap.2018.1702.14184.08

Roza, R. H., Wechsler, S. M., & Nakano, T. C. (2018). Escala de estilos de aprendizagem em situações de uso de tecnologias: Busca por evidências de validade de conteúdo. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, 9(1), 45-64. doi: 10.5433/2236-6407.2018v9n1p45

Shaw, R. S. (2012). A study of the relationships among learning styles, participation types, and performance in programming language learning supported by online forums. Computers & Education, 58(1), 111-120. doi: 10.1016/j.compedu.2011.08.013

Silva, D. M., Leal, E. A, Pereira, J. M., & Oliveira Neto, J. D. (2015). Estilos de aprendizagem e desempenho acadêmico na Educação a Distância: uma investigação em cursos de especialização. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 17(57), 1300-1316. doi: 10.7819/rbgn.v17i57.1852

Soloman, B. A., & Felder, R. M. (2001). Index of learning styles questionnaire. Recuperado de http://www.engr.ncsu.edu/learningstyles/ilsweb.html

Takahashi, T. (Org.). (2000). Sociedade da informação no Brasil: livro verde. Brasília: Ministério da Ciência e Tecnologia.

Toledo Júnior, A. C. C., Ibiapina, C. D. C., Lopes, S. C. F., Rodrigues, A. C. P., & Soares, S. M. S. (2008). Aprendizagem baseada em problemas: uma nova referência para a construção do currículo médico. Revista Médica de Minas Gerais, 18(2), 123-131. Recuperado de http://rmmg.org/artigo/detalhes/521

Torres, S. M. (2014). The relationship between Latino students’ learning styles and their academic performance. Community College Journal of Research and Practice, 38(4), 357-369. doi: 10.1080/10668926.2012.761072

Walter, C. E., Fortes, P. J., Stettiner, C. F., & Ramos, D. F. (2017). A influência dos estilos de aprendizagem no desempenho de grupos de trabalho. Journal of Learning Styles, 10(20), 156-181. Recuperado de http://learningstyles.uvu.edu/index.php/jls/article/view/339/240

Wintergerst, A. C., DeCapua, A., & Itzen, R. (2001). The construct validity of one learning styles instrument. System, 29, 385-403. Recuperado de https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0346251X01000276?via%3Dihub

Publicado
2020-12-31
Como Citar
Hipólito Roza, R. ., & Angeli dos Santos, A. A. . (2020). Estilos de aprendizagem e desempenho acadêmico de universitários de administração. Psico, 51(3), e36154. https://doi.org/10.15448/1980-8623.2020.3.36154
Seção
Artigos