Ciência e tecnologia no imaginário de The Big Bang Theory: das imagens arquetípicas à atualização de mitos e estereótipos na "Era do Conhecimento"

  • Sílvio Antonio Luiz Anaz Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
  • Fernanda Manzo Ceretta Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Palavras-chave: Imaginário, Sitcom, Mitodologia

Resumo

The Big Bang Theory, um dos sitcoms de sucesso na TV em vários países, cria, reproduz e compartilha um imaginário que reflete aspectos da ciência e da tecnologia que se tornaram quase que onipresentes na sociedade contemporânea. Este artigo mapeia os principais elementos simbólicos do imaginário científico-tecnológico da série e analisa os sentidos que eles comunicam, com o objetivo de melhor compreender os mecanismos que estabelecem a identificação da série com a audiência, e consequentemente contribuem para o sucesso dela. A investigação fundamenta-se na concepção antropológica de imaginário e nos pressupostos do estudo dos arquétipos e mitos (mitodologia) desenvolvidos por Gilbert Durand. Os resultados mostram a circulação de arquétipos, mitos e estereótipos ligados à ciência e tecnologia no imaginário de um produto audiovisual midiático e como este os atualiza através do cômico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sílvio Antonio Luiz Anaz, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Doutor em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e pesquisador do Grupo de Pesquisa Comunicação e Criação nas Mídias (PUC-SP)
Fernanda Manzo Ceretta, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Mestrado em Comunicação e Semiótica na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e integrante do Grupo de Pesquisa Comunicação e Criação nas Mídias (PUC-SP)

Referências

BARROS, Ana Taís Martins Portanova. A saia de Marilyn: dos arquétipos aos estereótipos nas imagens midiáticas. E-compós – Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação, Brasília, v. 12, n. 1, jan.-abr. 2009.

BERGSON, Henri. O Riso: ensaio sobre a significação do cômico. Rio de Janeiro: Guanabara, 1983

BUCHANAN, Kyle. Why the Newest Superhero Movies Can’t Seem to Make Their Actors Into Superstars. Vulture. Disponível em: http://www.vulture.com/2013/11/why-superhero-actors-arent-superstars-anymorethor-chris-hemsworth.html. Acesso em: 18 mar. 2014.

DUARTE, Elizabeth Bastos. Sitcom: novas tendências. Animus: revista interamericana de comunicação, UFSM, v. 7, n. 13, jan.-jun. 2008.

DURAND, Gilbert. Estruturas antropológicas do imaginário. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

______. O retorno do mito: introdução à mitodologia. Mitos e sociedades. Revista FAMECOS, Porto Alegre, n. 1, p. 7-22, set. 2004.

______. De la mitocrítica al mitoanálisis. Figuras míticas y aspectos de la obra. Barcelona: Anthropos, 1993.

______. Passo a passo da mitocrítica. Revista Ao Pé da Letra, Universidade Federal de Pernambuco, v. 14, n. 2, 2012.

EDGAR, Andrew; SEDGWICK, Peter. Teoria cultural de A a Z. São Paulo: Contexto, 2003.

FERRY, Luc. A sabedoria dos mitos gregos. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012.

HEISE, Eloá. A lenda do Dr. Fausto em relação dialética com a

utopia. São Paulo: Humanitas/FAPESP/FFLCH/USP, 2001.

HEISE, E. A lenda do Doutor Fausto em relação dialética com a utopia. In: IZARRA, L. P. Z. (Org.). A literatura da virada do século: fim das utopias? São Paulo: Humanitas/Fapesp/FFLCH/USP, 2001. p. 47-56.

MAFFESOLI, Michel. O tempo das tribos. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

______. O imaginário é uma realidade. Revista FAMECOS, Porto Alegre, n. 15, p. 74-82, ago. 2001.

ORTOLAN, Edson Tadeu. História do teatro. Campinas, Brasil: Editora Conquista, 2004.

PROPP, Vladimir. Comicidade e Riso. São Paulo: Ática, 1992.

SETTLES, Burn. On “Geek” versus “Nerd”. Slackpropagation. Disponível em: http://slackprop.wordpress.com/2013/06/03/on-geek-versus-nerd/. Acesso em: 17 mar. 2014.

STEINBERG, Brian. CBS Sets Mega 3-Season Renewal for “The Big Bang Theory”. Disponível em: http://variety.com/2014/tv/news/cbs-sets-mega-3-season-renewal-for-the-big-bang-theory-1201129964/. Acesso em: 12 mar. 2014.

Publicado
2014-09-12
Como Citar
Anaz, S. A. L., & Ceretta, F. M. (2014). Ciência e tecnologia no imaginário de The Big Bang Theory: das imagens arquetípicas à atualização de mitos e estereótipos na "Era do Conhecimento". Revista FAMECOS, 21(2), 647-674. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2014.2.16758
Seção
Narrativa Ficcional